Expandir Player
Mostrando postagens com marcador illusion. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador illusion. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 14 de julho de 2015

Illusion - Illusion [1978] - United Kingdom / Reino Unido


Após os resultados encorajadores de seu álbum de estréia, o Ilusion voltou no ano seguinte para gravar seu segundo disco, o álbum auto-intitulado, que veio com um trabalho artístico excelente, reminiscente do álbum de estréia do Renaissance e também vemos o retorno de outro ex- Yardbirds, Paul Samwell-Smith sobre a produção. Uma das principais diferenças entre os line-ups rivais é que o Illusion tem um guitarrista real, mesmo sendo a sua presença menos sentida neste álbum do que em "Out Of The Mist".

O álbum começa muito bem com a faixa soberba de quase 7 minutos "Madonna Blue", com a sua absolutamente fabulosa segunda parte instrumental e um solo de guitarra excelente. McCarthy canta o seguinte a southern "Never Be The Same", enquanto a mansa "Across The Sea" é um esforço vocal duplo. Começando quase como uma faixa do Tangerine Dream, "Cruising Nowhere" é uma pista esplêndida que poderia fazer frente aos seus "companheiros" no Prog Rock.

Há uma grande diferença no som com "Louis Theme", uma pista muito suave e longa, um pouco ainda mais silenciosa do que qualquer outra do disco. A faixa "Man of Miracle" poderia ter sugerido ao que um terceiro álbum da banda poderia ter soado, mas o Punk Rock matou essa idéia. É uma faixa de voltar para os primeiros dias do Renaissance e é novamente a partir de sons de sintetizador incomuns muito parecida com "Louie's Theme", é uma faixa soberba. O fechamento "Revolutionary" é outra fuga em um reino diferente do sinfônico, e uma vez bem sucedida, mesmo se você tem que aumentar o volume de obter a maior parte de sua beleza.

Na verdade o segundo álbum de Illusion é tudo menos soporífero, apesar de ter metade do disco em uma atmosfera muito tranquila e suave que requer total atenção e um bom conjunto de fones de ouvido. Fãs do Renaissance podem preferir o álbum "Out Of The Mist", mas este segundo esforço é definitivamente mais aventureiro.


Tracks:
1. Madonna Blue (6:46)
2. Never Be The Same (3:18)
3. Louis' Theme (7:41)
4. Wings Across The Sea (4:49)
5. Cruising Nowhere (5:01)
6. Man Of Miracles (3:27)
7. The Revolutionary (6:15)
Time: 37:17 

Musicians:
- Jim McCarty / vocal, acoustic guitar, percussion
- Jane Relf / vocal
- John Hawken / piano, synthesizers, mellotron, Hammond organ, Fender Rhodes
- Louis Cennamo / bass
- John Knightsbridge / electric and acoustic guitar
- Eddie McNeil / drums, percussion 

Format: mp3 (320 kbps) = 148 mb = Mega

domingo, 12 de julho de 2015

Illusion - Out Of The Mist [1977] - United Kingdom / Reino Unido


Eis uma banda cuja classificação pode ser definida como Musica Popular Sinfônica. Isso devido a forte nuance de música sinfónica através do uso de arranjo de cordas utilizando sintetizadores e mellotron.

As origens da banda remonstam ao final da década de 60 e está intrinsecamente amarrada a banda de renome Renaissance. Os membros originais da famosa banda de Annie Haslam e cia. se reuniram aqui para um outro projeto. Sob o nome de seu segundo álbum (Illusion), o grupo ensaiou algumas coisas novas. O cantor e guitarrista Keith Relf Infelizmente morreu, eletrocutado por sua própria guitarra, antes de qualquer gravação ser  feita. A solução era simples: o baterista original Jim McCarty assumindo o papel de Relf e contratando dois novos membros: o guitarrista John Nightsbridge e o baterista Eddie McNeill. Quanto aos outros, o tecladista John Hawken (ex-Strawbs), o baixista e vocalista Louis Cennamo e Jane Relf, no vocal. Em 1977 a banda lançou seu primeiro "novo" álbum chamado "Out Of The Mist".

"Isadora" (6:58) surpreende na primeira audição! A qualidade vocal de Jane Relf foi muito clara, transparente e poderosa. As unidades de qualidade vocais a transformam numa excelente excelente canção. A parte de introdução com o trabalho de piano acompanhado de guitarra acústica, o baixo como secção rítmica é realmente bonito! As notas criadas a partir do trabalho de piano me lembrar a música tradicional que utiliza o sistema de pentatônica.

A outra trilha memorável, devido à sua grande melodia e composição é "Beautiful Country" (4:21) que corre na veia semelhante a "Isadora". A canção foi escrita com cuidado por McCarty para criar uma grande combinação de notas e acordes que resultam em ótima composição. Ela tem um ritmo melodramático junto a um estilo bluesy. A parte introdução apresenta grandioso mini moog e trabalho de piano solo feito com linhas de baixo sensacionais. A melodia como apresentado pelo trabalho vocal é muito sensível e memorável.

Outras faixas a se destacarem são "Solo Flight" e "Candles Are Burning" que vão invadir sua mente deixando um "hálito" fresco de harmonia e sensibilidade, além de "Face of Yesterday" (uma regravação de uma faixa incluída no segundo LP do Renaissance, "Illusion")


Tracks:
1. Isadora (6:58) 
2. Roads To Freedom (3:55) 
3. Beautiful Country (4:21) 
4. Solo Flight (4:20) 
5. Everywhere You Go (3:18) 
6. Face Of Yesterday (5:43) 
7. Candles Are Burning (7:10)
Time: 35:55

Musicians:
- John Hawken / piano Fender Rhodes, Mini moog, mellotron, organ 
- Louis Cennamo / bass 
- Jane Relf / vocals 
- Jim McCarty / vocals, acoustic guitar, percussion 
- Jonh Nightbridge / guitars 
- Eddie McNeil / percussion, drums

Format: mp3 (320 kbps) = 108 mb = Mega

Pesquisar este blog

WORLD