Expandir Player
Mostrando postagens com marcador grobschnitt. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador grobschnitt. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Grobschnitt - Rockpomel's Land [REMASTERED + BONUS TRACK] [1977] - Germany / Alemanha


"Rockpommel's Land" lançado em 1977, foi o canto do cisne Prog do Grobschnitt antes deles mudarem para o Rock mainstream. O registro tem uma produção perfeita, boas idéias e arranjos, mas está faltando o humor característico dos discos e shows da banda. É um álbum conceitual com um inspiração na fantasia de Tolkien onde a história é sobre um menino e um grande pássaro com poder mágico.

O álbum abre com "Ernie's Reise", uma faixa dinâmica, começando com guitarra e órgão, em seguida, o tema principal, seguido por um primeiro intervalo. A faixa evolui para um sulco lento, apoiando os vocais bluesy de Danielak. Depois de um solo de guitarra executado por Kühn e uma reprise do tema principal começa uma passagem mais longa para piano, apoiando uma parte de narração da história, entrelaçada novamente com ligação e linhas duplas mais acenando acordes de synths. Idéias interessantes em uma linda faixa.

"Severity town" é um belo tema introduzido pela primeira vez pelo glockenspiel e depois pelo piano, seguido por um segundo tema (cantado) que é apoiado por uma progressão de acordes que lembra "Carpert Crawlers". A pista torna-se então mais pesada e evolui para um Funk pesado, com grande baixo, terminando com uma outra parte narração sobre uma passagem como o Genesis

"Anywhere" é uma lindíssima e curta canção apoiada em guitarras acústicas cheia de lirismo e poesia. É de deixar os olhos lacrimejando!

"Rockpommel's Land",a obra prima do álbum, abre com uma introdução atmosférica, a "march of the stonefaces", com vocais originais de trolls, evoluindo primeiro em um ritmo lento , seguido de um Shuffle com grande obra de guitarras. Após o tema que se repete, segue-se por um passagem lenta que prepara e monta o clímax, um tema interpretado por Kühn na guitarra elétrica.

No CD relançado pela Repertoire Records possui um grande bônus "Tontillon", um instrumental, construindo em torno do tema principal de "Severity town",tocado com um grande piano ao longo de um ritmo lento, com brilhante solo de Kahrs.

Este é o último álbum de estúdio importante do Grobschnitt, e com certeza a sua obra prima!.


Tracks:
1. Ernie's Reise (10:56) 
2. Severity town (10:05)
3. Anywhere (4:13) 
4. Rockpommel's Land (20:55) 
Bonus tracks:
5. Tontillon (6:15)
Time: 52:24

Musicians:
- Stefan Danielak (Wildschwein) / lead vocals, acoustic & rhythm guitars
- Joachim Ehrig (Eroc) / drums, percussion, electonic f/x
- Wolfgang Jäger (Popo) / bass 
- Volker Kahrs (Mist) / keyboards, Mellotron, synthesizers 
- Gerd-Otto Kühn (Lupo) / acoustic & electric guitars, vocals

Format: flac (image) = 350 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 120 mb = Yandex / pass = progsounds

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Grobschnitt - Jumbo [ENGLISH AND GERMAN VERSIONS - 2 DISCS ON 1] [ 1975] - Germany /Alemanha


Esta avaliação baseia-se na versão em Inglês do álbum. O disco anterior, "Ballerman" propôs duas direções possíveis para a banda, Prog Sinfônico a la Yes/Genesis e Space Rock, a la Pink Floyd. Indiscutivelmente, a abordagem Space Rock foi mais distintiva no caso do Grobschnitt, mas com "Jumbo" eles tomam a decisão de avançar ainda mais em território Sinfônico muito  bem percorrido.

Embora a abordagem seja bem implementada, peças como "The Clown" e muito de "Dream And Reality" são um pouco menos atraentes do que as da primeira parte de "Ballerman", mesmo tendo o mellotron bem explorado, a partir de "The Excursion of Father Smith". O destaque é definitivamente "Sunny Sunday's Sunset", também a faixa mais longa, que evolui de um começo hipnótico para uma atmosfera circense mas perfeitamente construída. Enquanto "Jumbo" não é o gigante que foi "Ballerman", vale a pena ouvir se você gostou do antecessor.


Tracks:
English Version:
1. Jupp / The Excursion Of Father Smith (9:55)
2. The Clown (6:44)
3. Dream And Reality (5:28)
4. Sunny Sunday's Sunset (11:29)
5. Auf Wiedersehen (0:58) 
German Version:
6. Jupp / Vater Schmidt's Wandertag (9:54)
7. Der Clown (6:51)
8. Traum Und Wirklichkeit (5:28)
9. Sonntag's Sonnabend (11:29)
10. Auf Wiedersehen (0:56)
11. Auf Wiedersehen (Reprise) (mystery bonus track) (1:17)
Time: 70:29

Musicians:
- Stefan Danielak (Wildschwein) / acoustic & rhythm guitars, lead & backing vocals
- Joachim Ehrig (Eroc) / drums, percussion electronic f/x, voices
- Wolfgang Jäger (Popo) / bass 
- Volker Kahrs (Mist) / keyboards, Mellotron, synthesizers
- Gerd-Otto Kühn (Lupo) / lead guitar

Format: ape (image) = 462 mb = Yandex / pass = makina
Format: mp3 (320 kbps) = 182 mb = Mega / pass = makina

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Grobschnitt - Grobschnitt [1972] [REMASTERED WITH BONUS TRACK] - Germany / Alemanha


O primeiro álbum do GROBSCHNITT representa um conjunto diferente, mais pesado do que a banda que iria expor em seu popular "Rockpomel's Land" cinco anos mais tarde. Ao contrário, o estilo Symphonic Prog dos álbuns da metade da década de 70, o seu LP de estréia estava mais perto de um Space Rock Floydiano, mas era um Space Rock numa órbita baixa a nível da Terra na melhor das hipóteses, nunca se alcançando o impulso ou a elevação necessária para se libertar de sua própria força gravitacional.

Nesta fase inicial de sua carreira o line-up ainda era incerto. O álbum não tinha o toque mais delicado do tecladista Volker Kahrs (aka Mist, que iria se juntar a banda para o seu segundo álbum de estúdio em 1974), e os valentes esforços do percussionista e palhaço Joachim Ehrig (Eroc) foram diluídos pela adição supérfluas de um segundo baterista Axel Harlos (Felix).

A faixa de abertura "Symphony" (13:44), é composta por quatro movimentos e é uma boa representação da musicalidade da banda. Oferece variados estilos e mudanças de tempo que refletem o que a Música Progressiva abrange em termos de estilos e variações instrumentais. A pureza da energia do vocalista antecipa a música indicando os seus esforços em fazer da música o mais dinâmica possível. Existem algumas manobras de seção de cordas durante as sessões de quebra que fazem a música rica em texturas. A ruptura ambiente nos moldes de ELOY aparece em aproximadamente 7:30 minutos, o que reforça o carácter psicodélico da banda, especialmente com o órgão sustentando os sons em ritmo lento. É uma excelente pausa / interlúdio musical. O solo de guitarra que se segue também é impressionante. É o tipo de música clássica que você não deve perder um só minuto!

"Travelling" (6:50) explora a natureza teatral da banda com um trabalho de teclado na abertura seguido por tambores de marcha que representam o movimento musical. Os movimentos surgem crescendo com repetidos acordes e notas que acabam em um som do teclado longo, seguido, depois, por um solo de guitarra e uma mudança no estilo de música em um modo mais animado. O estilo do vocal representa o Rock vintage, lembrando NEKTAR, apoiado numa guitarra que preenche todos os espaços, enquanto o vocalista desempenha seu brilhante papel. É uma canção inspiradora.

"Wonderful Music" (3:40) é uma música que é muito diferente das outras, uma vez que demonstra grande presença da flauta tocada pelo baixista Bernhard Uhlemann. Esta trilha é muito interessante e muito agradável em termos de melodia, bem como em composição. Além da flauta, a guitarra acústica desempenha um papel importante também na composição global.

"Sun Trip" (17:43) é um épico final que compreende quatro partes: a) "Am Ölberg "(Monte das Oliveiras), b) "On the way", c) "Battlefield", e d) "New Era". É muito lenta no início, seguida de uma guitarra acústica excelente acompanhando uma narração. As circunstâncias tempestuosas fizeram a música um tanto  poderosa. É uma trilha multi-sessão, pois há muitas mudanças no estilo, por exemplo, a parte Jazzy em aproximadamente 4:30 minutos seguida por grande vocal. Pode-se admitir o virtuosismo da banda em criar uma peça com multi partes, e muitas mudanças no estilo, mas tudo se junta de maneira harmoniosa criando uma composição bem homogênea, de certa forma. Esta faixa deve ser considerada como uma das faixas de Prog Rock lendárias.

No geral, é um complemento de qualquer coleção de música Prog. A qualidade da gravação do vintage fez até este álbum memorável. Altamente recomendado. 

Release / Label:
Repertoire Records ‎– PMS 7093-WP - Germany, 1998


Tracks:
1. Symphony: (13:44)
 a) Introduction
 b) Modulation
 c) Variation
 d) Finale
2. Travelling (6:50)
3. Wonderful music (3:40)
4. Sun trip: (17:43)
 a) Am Ölberg (Mount of Olives)
 b) On the way
 c) Battlefield
 d) New era
Bonus Track:
5. Die Sinfonie. Live at Volkspark, Germany, Sept. 71 (29:40)
Time: 71:37

Musicians:
- Stefan Danielak (Wildschwein) / rhythm guitar, vocals
- Joachim Ehrig (Eroc) / drums, percussion, electronic effects
- Axel Harlos (Felix) / drums, percussion
- Gerd-Otto Kühn (Lupo) / lead guitar
- Hermann Quetting (Quecksilber) / organ, piano, spinet, percussion
- Bernhard Uhlemann (Bär) / bass, flute, percussion

Format: .wv (wav pack) (image + cue) = 511 mb = Yandex (part 1) / Yandex (Part 2)
Format: .wv (wav pack) (image + cue) = 511 mb = Mega (Part 1) / Mega (Part 2)
Format: mp3 (320 kbps) = 230 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 230 mb = Yandex

Pesquisar este blog

WORLD