Mostrando postagens com marcador king crimson. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador king crimson. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

King Crimson - Lark's Tongues In Aspic [1973] [40TH ANNIVERSARY EDTION - 2 DISCS] - United Kingdom / Reino Unido



Inaugurando uma nova era para a banda, "Larks' Tongues in Aspic" mostra uma nova formação solidificada após o "caos" dos álbuns anteriores, e de acordo com muitas opiniões o melhor período da história do KING CRIMSON começa aqui.


"Larks' Tongues pt. 1" é possivelmente a mais forte de todas os seus temas de introdução até aqui. A introdução de percussão, os arranjos para o violino, os pesados ​​(muito pesados) riffs, a seção de ritmo perfeita, as vozes ocultas assustadoras em background, o dramático final, rudo absolutamente brilhante! 

O tom melancólico e ritmos um pouco nervosos de "Book of Saturdays" introduz os acordes melodiosos do vocal de John Wetton. Mais pessoal, intimista e emocional do que qualquer coisa que a banda tenha feito. A letra que Palmer-James fornece-nos da uma nova dimensão à paisagem sonora do KC anteriormente rarefeita. É um pouco deslocada entre os épicos sonoros mais ruidosos do resto do álbum, mas esta breve canção não é menos cheia de delícias instrumentais.

"Exiles" vaga como se estivesse em uma tempestade de construção lenta, mas depois revela-se melancólica, em vez de um trovão. O tom geral é sugestivo e agradável, como uma MOODY BLUES mais inspirado e instrumentalmente aventureira, a composição e a guitarra são caracteristicamente sublimes. A bateria excepcional serve como um bom exemplo de por que Bruford foi tão essencial para os álbuns anteriores do YES, e os tons "quentes" que Wetton utiliza aqui se encaixam bem melhor no som da banda do que Haskell, Burrell ou Anderson poderiam ter sido utilizado por eles.

"Easy Money" possui um uma estrutura mais atraente e imprevisível. Wetton apresenta uma presença de graves exclusiva e que seus antecessores não dispunham, às vezes aproximando-se do brilho rouco de Chris Squire, e Davi Cross elimina todas as dúvidas que um violino pode trabalhar nas mais altas passagens, mais duras e difíceis.

"The Talking Drum" representa ainda mais as novas influências exóticas, é mais um instumental (um pouco longa e chata), mas a bateria de Bruford é algo para se prestar atenção!

"Larks' Tongues pt. 2" é uma prova final, magistral da direção que a banda está tomando; o impulso irrefreável, duro nessa música será o modelo para "Fracture", "Starless and Bible Black" e "Red".

Este disco continua a ser um elemento essencial para os ouvidos de todos os fãs de Prog-Rock.


Tracks:
CD1 - 2012 Stereo Mix
01. Larks' Tongues In Aspic (Part I) - 13:35
02. Book Of Saturday - 2:56
03. Exiles - 7:41
04. Easy Money - 7:55
05. The Talking Drum - 7:24
06. Larks' Tongues In Aspic (Part II) - 7:24
Bonus Tracks:
07. Larks' Tongues In Aspic (Part I) [Alt Mix] - 11:14
08. Book Of Saturday [Alt Take] - 2:56
09. The Talking Drum (Alternative Mix) - 6:58
Time: 68:02

CD2 Original 1974 Album. 40th Anniversary Remaster
01. Larks' Tongues In Aspic (Part I) - 13:35
02. Book Of Saturday - 2:56
03. Exiles - 7:41
04. Easy Money - 7:53
05. The Talking Drum - 7:26
06. Larks' Tongues In Aspic (Part II) - 7:23
Bonus Track:
07. Larks Tongues' In Aspic (US Radio Ad) - 0:59
08. Easy Money (US Promo EP) - 5:02
Time: 52:54

Musicians:
David Cross – Violin, Viola, Mellotron
Robert Fripp – guitar, Mellotron & Devices
John Wetton - bass, vocals & Piano
Bill Bruford – Drums
Jamie Muir – percussion & Allsorts

Format: mp3 (320 kbps) = 247 mb = Mega

King Crimson - Lark's Tongues In Aspic [1973] [40TH ANNIVERSARY EDTION - 2 DISCS] - United Kingdom / Reino Unido

sexta-feira, 30 de maio de 2014

King Crimson - In the Court of the Crimson King [1969] [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] - United Kingdom / Reino Unido


Deus ouviu "In The Court Of The Crimson King" e viu que era bom. Deus dividiu então o Rock progressivo do resto da música.

Difícil encontrar outras palavras para descrever o primeiro álbum 100% Rock progressivo e aquele que definiu o gênero, álbum perfeito do início ao fim, vai de frenético a sinfônica em questão de segundos.

"21st Century Schizoid Man" é uma canção absolutamente frenética, parece caótica, mas ele é perfeito, a banda expressa uma sensação de frustração e raiva que é transmitida para o ouvinte, tem mudanças bruscas, instrumentação complexa e som inovador, apenas o que Rock progressivo significa, brilhante.

"I Talk To The Wind" é precisamente o outro lado da moeda, começa com uma flauta suave de Ian Mc Donald e logo se derrete com a bela voz de Greg Lake, parece, só uma balada suave e simples, mas é mais que isso, principalmente por causa da a maneira como eles se combinam os instrumentos, de forma que apenas alguns virtuosos músicos de jazz fizeram antes.

"Epitaph" é uma canção mais escura com letras muito obscuros e pessimistas, a voz de Lake adapta-se perfeitamente a guitarra de Fripp e mellotron melancólico, um estilo muito agradável que seria desenvolvido mais tarde pelo GENESIS de Gabriel. Algumas pessoas acreditam que é uma balada triste, mas realmente é uma faixa muito complexa que combina diferentes ritmos e tempos, também deve dizer que a percussão é brilhante.

"Moonchild" é o mais orientada ao Jazz, apesar que mantém a estrutura Sinfônica, começa calma e suave, com um ritmo muito definido e um uma obra única de guitarra, na primeira audição, você pode ter a impressão de que estamos diante de outra música na veia de "I Talk To The Wind", mas em torno dos 3 minutos o Fusion começa, nada tão complexo e com falta de estrutura lógica tinha sido feito antes, quase como se a banda estivesse em uma jam session McDonald e Fripp são excelentes nesta canção.

"In The Court Of The Crimson King" é uma obra-prima absoluta, a letra é incrivelmente descritiva e combinam perfeitamente com a música criando a atmosfera medieval, essa música tem tudo, beleza, ritmo, complexidade e muita imaginação, as palavras não são capazes de descrevê-lo, o mais perto perfeito para um álbum perfeito.

A grande conquista do KING CRIMSON é que em seu disco de estréia eles conseguiram criar um álbum que tem 5 músicas absolutamente diferentes que mostram cinco aspectos diferentes do rock progressivo: agressão, calma, escuridão, fusão e quanto mais próximo que combina todos esses aspectos e mais em uma faixa de 9:22 minutos.

Muitas bandas lançaram álbuns progressivos ou semi-progressivos antes, alguns deles são excelentes, mas nenhum outro trabalho pode definir o gênero e definir o status tão elevado "In The Court Of The King Crimson", o caminho estava pronto para outras bandas seguirem.


Tracks:
1. 21st Century Schizoid Man (7:20) including
- a. Mirrors
2. I Talk To The Wind (6:05)
3. Epitaph (8:47) including
- a. March For No Reason
- b. Tomorrow And Tomorrow
4. Moonchild (12:11) including
- a. The Dream
- b. The Illusion
5. The Court Of The Crimson King (9:22) including
- a. The Return Of The Fire Witch
- b. The Dance Of The Puppets
Bonus Tracks:
6. Moonchild (Full Version) - 12:16
7. I Talk To The Wind (Duo Version) - 4:56
8. I Talk To The Wind (Alternate Mix) - 6:37
9. Epitaph (Backing Track) - 9:06
10. Wind Session - 4:31
Total Time: 78:00

Note: Tracks 1-5 *** 2009 Stereo Mix

Musicians:
- Robert Fripp / guitar
- Greg Lake / bass guitar, lead vocals
- Ian McDonald / reeds, woodwind, vibes, keyboards, mellotron, vocals
- Michael Giles / drums, percussion, vocals
- Peter Sinfield / words and illumination 

Format: mp3 (320 kbps) = 213 mb = Mega

King Crimson - In the Court of the Crimson King [1969] [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] - United Kingdom / Reino Unido


Deus ouviu "In The Court Of The Crimson King" e viu que era bom. Deus dividiu então o Rock progressivo do resto da música.

Difícil encontrar outras palavras para descrever o primeiro álbum 100% Rock progressivo e aquele que definiu o gênero, álbum perfeito do início ao fim, vai de frenético a sinfônica em questão de segundos.

"21st Century Schizoid Man" é uma canção absolutamente frenética, parece caótica, mas ele é perfeito, a banda expressa uma sensação de frustração e raiva que é transmitida para o ouvinte, tem mudanças bruscas, instrumentação complexa e som inovador, apenas o que Rock progressivo significa, brilhante.

"I Talk To The Wind" é precisamente o outro lado da moeda, começa com uma flauta suave de Ian Mc Donald e logo se derrete com a bela voz de Greg Lake, parece, só uma balada suave e simples, mas é mais que isso, principalmente por causa da a maneira como eles se combinam os instrumentos, de forma que apenas alguns virtuosos músicos de jazz fizeram antes.

"Epitaph" é uma canção mais escura com letras muito obscuros e pessimistas, a voz de Lake adapta-se perfeitamente a guitarra de Fripp e mellotron melancólico, um estilo muito agradável que seria desenvolvido mais tarde pelo GENESIS de Gabriel. Algumas pessoas acreditam que é uma balada triste, mas realmente é uma faixa muito complexa que combina diferentes ritmos e tempos, também deve dizer que a percussão é brilhante.

"Moonchild" é o mais orientada ao Jazz, apesar que mantém a estrutura Sinfônica, começa calma e suave, com um ritmo muito definido e um uma obra única de guitarra, na primeira audição, você pode ter a impressão de que estamos diante de outra música na veia de "I Talk To The Wind", mas em torno dos 3 minutos o Fusion começa, nada tão complexo e com falta de estrutura lógica tinha sido feito antes, quase como se a banda estivesse em uma jam session McDonald e Fripp são excelentes nesta canção.

"In The Court Of The Crimson King" é uma obra-prima absoluta, a letra é incrivelmente descritiva e combinam perfeitamente com a música criando a atmosfera medieval, essa música tem tudo, beleza, ritmo, complexidade e muita imaginação, as palavras não são capazes de descrevê-lo, o mais perto perfeito para um álbum perfeito.

A grande conquista do KING CRIMSON é que em seu disco de estréia eles conseguiram criar um álbum que tem 5 músicas absolutamente diferentes que mostram cinco aspectos diferentes do rock progressivo: agressão, calma, escuridão, fusão e quanto mais próximo que combina todos esses aspectos e mais em uma faixa de 9:22 minutos.

Muitas bandas lançaram álbuns progressivos ou semi-progressivos antes, alguns deles são excelentes, mas nenhum outro trabalho pode definir o gênero e definir o status tão elevado "In The Court Of The King Crimson", o caminho estava pronto para outras bandas seguirem.


Tracks:
1. 21st Century Schizoid Man (7:20) including
- a. Mirrors
2. I Talk To The Wind (6:05)
3. Epitaph (8:47) including
- a. March For No Reason
- b. Tomorrow And Tomorrow
4. Moonchild (12:11) including
- a. The Dream
- b. The Illusion
5. The Court Of The Crimson King (9:22) including
- a. The Return Of The Fire Witch
- b. The Dance Of The Puppets
Bonus Tracks:
6. Moonchild (Full Version) - 12:16
7. I Talk To The Wind (Duo Version) - 4:56
8. I Talk To The Wind (Alternate Mix) - 6:37
9. Epitaph (Backing Track) - 9:06
10. Wind Session - 4:31
Total Time: 78:00

Note: Tracks 1-5 *** 2009 Stereo Mix

Musicians:
- Robert Fripp / guitar
- Greg Lake / bass guitar, lead vocals
- Ian McDonald / reeds, woodwind, vibes, keyboards, mellotron, vocals
- Michael Giles / drums, percussion, vocals
- Peter Sinfield / words and illumination 

Format: mp3 (320 kbps) = 213 mb = Mega

King Crimson - Lizard [1970] [40TH ANNIVERSARY EDITION] - United Kingdom / Reino Unido


Em 1970, KING CRIMSON era uma banda instável, que surpreendentemente conseguiu produzir excelentes álbuns, marcos do rock progressivo. Neste momento, a maior parte da banda original tinha partido, com exceção do líder da banda, Robert Fripp e o letrista Peter Sinfield. Felizmente, eles trazem muitos músicos talentosos para completar a banda. Essa formação durou apenas para a gravação de "Lizard" e nunca mais retornaram. Gordon Haskell é trazido como o vocalista/baixista para substituir Greg Lake, e faz um trabalho admirável. Seus roucos vocais melancólicos couberam no material criado perfeitamente. Andy McCulloch é competente como baterista, e sua presença é sentida, dando ritmo para os interlúdios de Jazz, muitas vezes caóticos. A adição de instrumentos de sopro de madeira e metais deram ao KC um som muito mais rico, jazzier. Ricas intervenções de  do Jazz com Keith Tippet são um plus.. O material encontrado aqui também tem uma vantagem muito mais Jazz do que seus dois antecessores, e também é muito mais sombrio e complexo. Um indício de trabalho Jazz-Fusion sem querer indicar que se inspiram nsos trabalhos de SOFT MACHINE; "Lizard" é muito mais composto, e ainda está muito no campo Progressive Rock, com guitarras proeminentes e letras progressistas "épicas" estereotipadas. Tem-se a sensação de Robert Fripp e Sinfield cuidadosamente orquestrem este álbum todo, e cria com êxito uma determinada (mente decrépita) tema que aparece por toda parte.

O disco abre fortemente com "Cirkus", uma trilha assustadora com esilo Crimson no seu mais insano. Esta, apresenta a excelente guitarra acústica de Fripp, assim como os vocais dramáticos por Haskell subestimado, e horns maravilhosamente dispostos e floreios de teclado. Ele alterna perfeitamente entre os segmentos vocais suaves e jazz cacofônico utilizando sabor com pontes instrumentais, criando uma atmosfera de circo de verdade, com um toque sinistro. Esta é uma faixa de início da banda quase perfeita, e mostra o quão assustador esses caras poderiam ser. 

A próxima peça "Indoor Games" ilumina-se um pouco, com uma maravilhosa introdução jazz de seção de metais. Vocals distintivos de Haskell da à música o seu toque KC. Em geral, é muito bom, mas não tão interessante quanto as outras faixas encontradas aqui, e segue uma abordagem mais straight-jazz, com ocasionais pausas e intervenções da guitarra de Fripp.

"Happy Family" retoma a sensação escura de "Cirkus", com vocais fantasmagóricos distorcidas e muito mais guitarra e teclados do que nas faixas anteriores. Ele também tem grandes toques de flauta.

"Lady of the Dancing Water", representa a peça acústica obrigatória, a luz em um álbum sombrio de KING CRIMSON, e é muito na veia de "Cadence e Cascade" e "I Talk To The Wind". É muito agradável e possui uma luz, proporcionando uma breve pausa na loucura que a rodeia, mas por neste ponto, a fórmula estava ficando velha para esse tipo de música. 

A épica longa faixa, "Lizard" - a faixa-título - é uma suíte de 23 minutos, com quatro movimentos distintos. Esta peça é uma das músicas mais ambiciosas já tentadas por Fripp e Compania. Ela abre com "Prince Rupert Awakes" Surpreendentemente, Jon Anderson do YES canta os vocais nesta peça, como Gordon Haskell nunca faria. Este é um excelente toque. Luz, vocais etéreos de Anderson dão à música um prog folclórico tradicional um impulso definitivo. Essa música tem belas melodias, e é bom ouvir Anderson cantar letras semi-coerentes, como se opondo ao seu trabalho no YES. As próximas duas seções, "Bolero" e "The Battle" ... são peças de jazz e apresentam impressionante participações de todos os membros. A Bateria de McCulloch é especialmente boa, dando faixa... uma sensação bélica. O naipe de metais também é excelente. Estas peças são bem feitas, mas um pouco arrastada e cansativa. "Lizard" fecha com "Big Top", uma pequena reprise de "Cirkus", dando ao álbum uma sensação cíclica.

Muitos fãs e próprio Robert Fripp não gostam deste álbum, e não é fácil de definir. "Lizard" é o aldo mais escuro do KC, e um álbum menos acessível. É também o mais distante da Rock tradicional. É uma progressão ao longo do seu último álbum, "In The Wake Of Poseidon" (1970), e é uma pena que esta formação potente não durou muito. 

Nesta versão apresentam bônus - comemorando os 40 anos do disco - para os fâs mais ardorosos.


Tracks:
1. Cirkus(including Entry Of The Chameleons) (6:28) 
2. Indoor Games (5:41) 
3. Happy Family (4:16) 
4. Lady Of The Dancing Water (2:44) 
5. Lizard: 
- a. Prince Rupert Awakes (4:36) 
- b. Bolero - The Peacock's Tale (6:39) 
- c. The Battle Of The Glass Tears (10:58) 
- i) Dawn Song 
- ii) Last Skirmish 
- iii) Prince Rupert's Lament 
- d. Big Top (1:13)
Bonus Tracks:
6. Lady Of The Dancing Water (Alternate Take) - 2:50
7. Bolero (From Frame By Frame) - 6:48
8. Cirkus (Studio Run Through With Guide Vocal From Original Sessions) - 6:31
Total Time: 59:08

Musicians:
- Robert Fripp / guitar, mellotron, electric keyboards & devices
- Mel Collins / flute & saxes
- Gordon Haskell / bass guitar & vocals
- Andy McCulloch / drums
- Peter Sinfield / words & pictures
+
- Robin Miller / oboe & cor anglais
- Mark Charig / cornet
- Nick Evans / trombone
- Keith Tippet / piano & electric piano
- Jon Anderson of YES / vocals on "Prince Rupert Awakes"

Format: mp3 (320 kbps) = 188 mb = Mega

King Crimson - Lizard [1970] [40TH ANNIVERSARY EDITION] - United Kingdom / Reino Unido


Em 1970, KING CRIMSON era uma banda instável, que surpreendentemente conseguiu produzir excelentes álbuns, marcos do rock progressivo. Neste momento, a maior parte da banda original tinha partido, com exceção do líder da banda, Robert Fripp e o letrista Peter Sinfield. Felizmente, eles trazem muitos músicos talentosos para completar a banda. Essa formação durou apenas para a gravação de "Lizard" e nunca mais retornaram. Gordon Haskell é trazido como o vocalista/baixista para substituir Greg Lake, e faz um trabalho admirável. Seus roucos vocais melancólicos couberam no material criado perfeitamente. Andy McCulloch é competente como baterista, e sua presença é sentida, dando ritmo para os interlúdios de Jazz, muitas vezes caóticos. A adição de instrumentos de sopro de madeira e metais deram ao KC um som muito mais rico, jazzier. Ricas intervenções de  do Jazz com Keith Tippet são um plus.. O material encontrado aqui também tem uma vantagem muito mais Jazz do que seus dois antecessores, e também é muito mais sombrio e complexo. Um indício de trabalho Jazz-Fusion sem querer indicar que se inspiram nsos trabalhos de SOFT MACHINE; "Lizard" é muito mais composto, e ainda está muito no campo Progressive Rock, com guitarras proeminentes e letras progressistas "épicas" estereotipadas. Tem-se a sensação de Robert Fripp e Sinfield cuidadosamente orquestrem este álbum todo, e cria com êxito uma determinada (mente decrépita) tema que aparece por toda parte.

O disco abre fortemente com "Cirkus", uma trilha assustadora com esilo Crimson no seu mais insano. Esta, apresenta a excelente guitarra acústica de Fripp, assim como os vocais dramáticos por Haskell subestimado, e horns maravilhosamente dispostos e floreios de teclado. Ele alterna perfeitamente entre os segmentos vocais suaves e jazz cacofônico utilizando sabor com pontes instrumentais, criando uma atmosfera de circo de verdade, com um toque sinistro. Esta é uma faixa de início da banda quase perfeita, e mostra o quão assustador esses caras poderiam ser. 

A próxima peça "Indoor Games" ilumina-se um pouco, com uma maravilhosa introdução jazz de seção de metais. Vocals distintivos de Haskell da à música o seu toque KC. Em geral, é muito bom, mas não tão interessante quanto as outras faixas encontradas aqui, e segue uma abordagem mais straight-jazz, com ocasionais pausas e intervenções da guitarra de Fripp.

"Happy Family" retoma a sensação escura de "Cirkus", com vocais fantasmagóricos distorcidas e muito mais guitarra e teclados do que nas faixas anteriores. Ele também tem grandes toques de flauta.

"Lady of the Dancing Water", representa a peça acústica obrigatória, a luz em um álbum sombrio de KING CRIMSON, e é muito na veia de "Cadence e Cascade" e "I Talk To The Wind". É muito agradável e possui uma luz, proporcionando uma breve pausa na loucura que a rodeia, mas por neste ponto, a fórmula estava ficando velha para esse tipo de música. 

A épica longa faixa, "Lizard" - a faixa-título - é uma suíte de 23 minutos, com quatro movimentos distintos. Esta peça é uma das músicas mais ambiciosas já tentadas por Fripp e Compania. Ela abre com "Prince Rupert Awakes" Surpreendentemente, Jon Anderson do YES canta os vocais nesta peça, como Gordon Haskell nunca faria. Este é um excelente toque. Luz, vocais etéreos de Anderson dão à música um prog folclórico tradicional um impulso definitivo. Essa música tem belas melodias, e é bom ouvir Anderson cantar letras semi-coerentes, como se opondo ao seu trabalho no YES. As próximas duas seções, "Bolero" e "The Battle" ... são peças de jazz e apresentam impressionante participações de todos os membros. A Bateria de McCulloch é especialmente boa, dando faixa... uma sensação bélica. O naipe de metais também é excelente. Estas peças são bem feitas, mas um pouco arrastada e cansativa. "Lizard" fecha com "Big Top", uma pequena reprise de "Cirkus", dando ao álbum uma sensação cíclica.

Muitos fãs e próprio Robert Fripp não gostam deste álbum, e não é fácil de definir. "Lizard" é o aldo mais escuro do KC, e um álbum menos acessível. É também o mais distante da Rock tradicional. É uma progressão ao longo do seu último álbum, "In The Wake Of Poseidon" (1970), e é uma pena que esta formação potente não durou muito. 

Nesta versão apresentam bônus - comemorando os 40 anos do disco - para os fâs mais ardorosos.


Tracks:
1. Cirkus(including Entry Of The Chameleons) (6:28) 
2. Indoor Games (5:41) 
3. Happy Family (4:16) 
4. Lady Of The Dancing Water (2:44) 
5. Lizard: 
- a. Prince Rupert Awakes (4:36) 
- b. Bolero - The Peacock's Tale (6:39) 
- c. The Battle Of The Glass Tears (10:58) 
- i) Dawn Song 
- ii) Last Skirmish 
- iii) Prince Rupert's Lament 
- d. Big Top (1:13)
Bonus Tracks:
6. Lady Of The Dancing Water (Alternate Take) - 2:50
7. Bolero (From Frame By Frame) - 6:48
8. Cirkus (Studio Run Through With Guide Vocal From Original Sessions) - 6:31
Total Time: 59:08

Musicians:
- Robert Fripp / guitar, mellotron, electric keyboards & devices
- Mel Collins / flute & saxes
- Gordon Haskell / bass guitar & vocals
- Andy McCulloch / drums
- Peter Sinfield / words & pictures
+
- Robin Miller / oboe & cor anglais
- Mark Charig / cornet
- Nick Evans / trombone
- Keith Tippet / piano & electric piano
- Jon Anderson of YES / vocals on "Prince Rupert Awakes"

Format: mp3 (320 kbps) = 188 mb = Mega

quinta-feira, 29 de maio de 2014

King Crimson - Red [40TH ANNIVERSARY EDITION - 2 DISCS] - United Kingdom / Reino Unido


Uma versão para os amantes do KC, com direito a muitos bônus interessantes como a versão ao vivo de "Starless". Esse disco é considerado por muitos uns dos 3 melhores da banda, junto com "Lark's Tongues..." e o primeirão "In The Court...". Nada melhor do que tê-lo numa versão especial em 2 discos, com qualidade excepcional. Enjoy it !!!

Released / Label:
 DGM2012 - USA, 2013

Tracks:
Disc 1
01. Red - 6:17
02. Fallen Angel - 6:03
03. One More Red Nightmare - 7:10
04. Providence - 8:11
05. Starless - 12:26
Bonus Tracks:
06. Providence (Full Version, Taken From 'The Great Deceiver') - 10:12
07. Starless (Live From Asbury Park) - 12:34
Total Time: 62:54

Disc 2
01. Red - 6:17
02. Fallen Angel - 6:14
03. One More Red Nightmare - 7:11
04. Providence - 8:11
05. Starless - 12:28
Bonus Tracks:
06. Red Trio Version - 6:27
07. Fallen Angel Trio Version (Instrumental) - 6:22
Total Time: 53:11

Note: tracks 01/05 - 2013 Stereo Mix

Musicians:
Robert Fripp – guitar, mellotron
John Wetton – bass guitar, vocals
William Bruford – percussion
David Cross – violin
Mel Collins – soprano saxophone
Ian McDonald – alto saxophone
Robin Miller – oboe
Mark Charig – cornet

Format: mp3 (320 kbps) = 352 mb = Yandex

King Crimson - Red [40TH ANNIVERSARY EDITION - 2 DISCS] - United Kingdom / Reino Unido


Uma versão para os amantes do KC, com direito a muitos bônus interessantes como a versão ao vivo de "Starless". Esse disco é considerado por muitos uns dos 3 melhores da banda, junto com "Lark's Tongues..." e o primeirão "In The Court...". Nada melhor do que tê-lo numa versão especial em 2 discos, com qualidade excepcional. Enjoy it !!!

Released / Label:
 DGM2012 - USA, 2013

Tracks:
Disc 1
01. Red - 6:17
02. Fallen Angel - 6:03
03. One More Red Nightmare - 7:10
04. Providence - 8:11
05. Starless - 12:26
Bonus Tracks:
06. Providence (Full Version, Taken From 'The Great Deceiver') - 10:12
07. Starless (Live From Asbury Park) - 12:34
Total Time: 62:54

Disc 2
01. Red - 6:17
02. Fallen Angel - 6:14
03. One More Red Nightmare - 7:11
04. Providence - 8:11
05. Starless - 12:28
Bonus Tracks:
06. Red Trio Version - 6:27
07. Fallen Angel Trio Version (Instrumental) - 6:22
Total Time: 53:11

Note: tracks 01/05 - 2013 Stereo Mix

Musicians:
Robert Fripp – guitar, mellotron
John Wetton – bass guitar, vocals
William Bruford – percussion
David Cross – violin
Mel Collins – soprano saxophone
Ian McDonald – alto saxophone
Robin Miller – oboe
Mark Charig – cornet

Format: mp3 (320 kbps) = 352 mb = Yandex

King Crimson - In The Court Of The Crimson King [1969] [5CD+DVD BoxSet, 2009 40th Anniversary Series] - United Kingdom / Reino Unido


Disc1
2009 Stereo Mix
1. 21st Century Schizoid Man - 7:24
2. I Talk To The Wind - 6:00
3. Epitaph - 8:53
4. Moonchild - 9:02
5. The Court Of The Crimson King - 9:31
Bonus Tracks:
6. Moonchild (Full Version) - 12:16
7. I Talk To The Wind (Duo Version) - 4:56
8. I Talk To The Wind (Alternate Mix) - 6:37
9. Epitaph (Backing Track) - 9:06
10. Wind Session - 4:31

Disc2
Original Master Edition 2004
1. 21st Century Schizoid Man - 7:24
2. I Talk to the Wind - 6:04
3. Epitaph - 8:49
4. Moonchild - 12:13
5. The Court of the Crimson King - 9:26
Bonus Tracks:
6. 21st Century Schizoid Man (instrumental) - 6:47
7. I Talk to the Wind (BBC session) - 4:40
8. 21st Century Schizoid Man (BBC session) - 7:11
9. The Court of the Crimson King Part 1 (mono single version) - 3:22
10. The Court of the Crimson King Part 2 (mono single version) - 4:31

Disc3 
The Alternative Album
1. 21st Century Schizoid Man (instrumental) - 7:08
2. I Talk to the Wind (studio run through) - 4:21
3. Epitaph (alternate version) - 9:27
4. Moonchild (take 1) - 2:21
5. The Court of the Crimson King (take 3) - 7:15
Bonus Tracks:
6. 21st Century Schizoid Man (original pink label) - 7:21
7. I Talk to the Wind (original pink label) - 6:03
8. Epitaph (original pink label) - 8:56
9. Moonchild (original pink label) - 12:12
10. The Court of the Crimson King (original pink label) - 9:22

Disc4
Live 1969  
Restored bootleg, recorded live at Hyde Park, London, July 5th 1969
1. 21st Century Schizoid Man - 6:36
2. The Court Of The Crimson King - 6:31
3. Get Thy Bearings - 9:41
4. Epitaph - 4:29
5. Mantra - 3:05
6. Travel Weary Capricorn - 5:38
7. Mars - 3:30
Restored bootleg, recorded live at Fillmore East, New York, November 1969
8. The Court Of The Crimson King - 7:52
9. A Man A City - 12:19
10. Epitaph - 8:32
11. 21st Century Schizoid Man - 7:57

Disc5
The original Atlantic Records issued vinyl US radio promos
1. 21st Century Schizoid Man (mono album mix - US promo) - 7:22
2. I Talk to the Wind (mono album mix - US promo) - 6:04
3. Epitaph (mono album mix - US promo) - 8:52
4. Moonchild (mono album mix - US promo) - 12:13
5. The Court of the Crimson King (mono album mix - US promo) - 9:27
6. The Court of the Crimson King (edited mono single mix) - 2:20

DVD Audio
Original Album 
MLP Lossless 5.1 Surround
DTS 5.1 Digital Surround
1. 21st Century Schizoid Man
2. I Talk To The Wind
3. Epitaph
4. Moonchild
5. The Court Of The Crimson King
MLP Lossless Stereo (24/96)
PCM Stereo 2.0 (24/48)
2009 Stereo Mix
1. 21st Century Schizoid Man
2. I Talk To The Wind
3. Epitaph
4. Moonchild
5. The Court Of The Crimson King
Original Master Edition 2004
1. 21st Century Schizoid Man
2. I Talk To The Wind
3. Epitaph
4. Moonchild
5. The Court Of The Crimson King
Additional Audio Content
1. Moonchild (Full Version)
2. I Talk To The Wind (Duo Version)
3. I Talk To The Wind (Alternate Mix)
4. Epitaph (Backing Track)
5. Wind Session
The Alternate Album
1. 21st Century Schizoid Man (Instrumental)
2. I Talk To The Wind (Studio Run Through)
3. Epitaph (Alternate Version)
4. Moonchild (Take 1)
5. The Court Of The Crimson King (Take 3)

DVD Video
* Audio mono
1. 21st Century Schizoid Man - Edit

Format: flac (image + cue) = 1.93 gb
Format: mp3 (320 kbps) = 796 mb
Format: DVD A/V (iso image #) = 7.34 gb 

# All Regions | NTSC 16:9 | MLP Lossless 5.1/2.0, LPCM, 2 ch, DTS, 6 ch 

Torrent = Audio
Torrent = DVD

King Crimson - In The Court Of The Crimson King [1969] [5CD+DVD BoxSet, 2009 40th Anniversary Series] - United Kingdom / Reino Unido


Disc1
2009 Stereo Mix
1. 21st Century Schizoid Man - 7:24
2. I Talk To The Wind - 6:00
3. Epitaph - 8:53
4. Moonchild - 9:02
5. The Court Of The Crimson King - 9:31
Bonus Tracks:
6. Moonchild (Full Version) - 12:16
7. I Talk To The Wind (Duo Version) - 4:56
8. I Talk To The Wind (Alternate Mix) - 6:37
9. Epitaph (Backing Track) - 9:06
10. Wind Session - 4:31

Disc2
Original Master Edition 2004
1. 21st Century Schizoid Man - 7:24
2. I Talk to the Wind - 6:04
3. Epitaph - 8:49
4. Moonchild - 12:13
5. The Court of the Crimson King - 9:26
Bonus Tracks:
6. 21st Century Schizoid Man (instrumental) - 6:47
7. I Talk to the Wind (BBC session) - 4:40
8. 21st Century Schizoid Man (BBC session) - 7:11
9. The Court of the Crimson King Part 1 (mono single version) - 3:22
10. The Court of the Crimson King Part 2 (mono single version) - 4:31

Disc3 
The Alternative Album
1. 21st Century Schizoid Man (instrumental) - 7:08
2. I Talk to the Wind (studio run through) - 4:21
3. Epitaph (alternate version) - 9:27
4. Moonchild (take 1) - 2:21
5. The Court of the Crimson King (take 3) - 7:15
Bonus Tracks:
6. 21st Century Schizoid Man (original pink label) - 7:21
7. I Talk to the Wind (original pink label) - 6:03
8. Epitaph (original pink label) - 8:56
9. Moonchild (original pink label) - 12:12
10. The Court of the Crimson King (original pink label) - 9:22

Disc4
Live 1969  
Restored bootleg, recorded live at Hyde Park, London, July 5th 1969
1. 21st Century Schizoid Man - 6:36
2. The Court Of The Crimson King - 6:31
3. Get Thy Bearings - 9:41
4. Epitaph - 4:29
5. Mantra - 3:05
6. Travel Weary Capricorn - 5:38
7. Mars - 3:30
Restored bootleg, recorded live at Fillmore East, New York, November 1969
8. The Court Of The Crimson King - 7:52
9. A Man A City - 12:19
10. Epitaph - 8:32
11. 21st Century Schizoid Man - 7:57

Disc5
The original Atlantic Records issued vinyl US radio promos
1. 21st Century Schizoid Man (mono album mix - US promo) - 7:22
2. I Talk to the Wind (mono album mix - US promo) - 6:04
3. Epitaph (mono album mix - US promo) - 8:52
4. Moonchild (mono album mix - US promo) - 12:13
5. The Court of the Crimson King (mono album mix - US promo) - 9:27
6. The Court of the Crimson King (edited mono single mix) - 2:20

DVD Audio
Original Album 
MLP Lossless 5.1 Surround
DTS 5.1 Digital Surround
1. 21st Century Schizoid Man
2. I Talk To The Wind
3. Epitaph
4. Moonchild
5. The Court Of The Crimson King
MLP Lossless Stereo (24/96)
PCM Stereo 2.0 (24/48)
2009 Stereo Mix
1. 21st Century Schizoid Man
2. I Talk To The Wind
3. Epitaph
4. Moonchild
5. The Court Of The Crimson King
Original Master Edition 2004
1. 21st Century Schizoid Man
2. I Talk To The Wind
3. Epitaph
4. Moonchild
5. The Court Of The Crimson King
Additional Audio Content
1. Moonchild (Full Version)
2. I Talk To The Wind (Duo Version)
3. I Talk To The Wind (Alternate Mix)
4. Epitaph (Backing Track)
5. Wind Session
The Alternate Album
1. 21st Century Schizoid Man (Instrumental)
2. I Talk To The Wind (Studio Run Through)
3. Epitaph (Alternate Version)
4. Moonchild (Take 1)
5. The Court Of The Crimson King (Take 3)

DVD Video
* Audio mono
1. 21st Century Schizoid Man - Edit

Format: flac (image + cue) = 1.93 gb
Format: mp3 (320 kbps) = 796 mb
Format: DVD A/V (iso image #) = 7.34 gb 

# All Regions | NTSC 16:9 | MLP Lossless 5.1/2.0, LPCM, 2 ch, DTS, 6 ch 

Torrent = Audio
Torrent = DVD

terça-feira, 27 de maio de 2014

King Crimson - Red [1974] [REMASTERED 40TH ANNIVERSARY EDITION WITH BONUS TRACKS] - United Kingdom / Reino Unido

Release / Label:
Discipline Global Mobile ‎– KCSP7, 
Panegyric ‎– KCSP7 - UK, 2009

Tracks:
1. Red (6:20) 
2. Fallen Angel (6:00) 
3. One More Red Nightmare (7:04) 
4. Providence (8:08) 
5. Starless (12:18)
Bonus Tracks: 
6. Red (Trio Version) - 6:27
7. Fallen Angel (Instrumental Trio Version) - 6:26
8. Providence (Full Version) - 10:09
Total Time: 62:12

Musicians:
- Bill Bruford / drums, percussion 
- Robert Fripp / guitars, mellotron, devices 
- John Wetton / bass, vocals 
+
- David Cross / violin 
- Mark Charig / cornet 
- Mel Collins / soprano saxophone 
- Ian McDonald / alto saxophone 
- Robin Miller / oboe

Format: mp3 (320 kbps) = 232 mb = Yandex

Pesquisar este blog

WORLD