Mostrando postagens com marcador -Hungary / Hungria-. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador -Hungary / Hungria-. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Solaris - NOAB [2005] - Hungary / Hungria


Para aqueles que apreciam a música do Solaris este é um lançamento essencial. Ele contém grande jogo de todas os membros. A flauta de Attila Kollar é proeminente. O destaque é a trilha "NOAB", um épico marcando 21 minutos de duração. Esta faixa contém elementos da música "LA 2026" e partes de "Nostradamus" e por isso é muito mais um híbrido. O resto das faixas são bem agradáveis. Indicado para os fãs da banda.


Tracks:
1. NOAB (21:48)
2. Szep, uj vilog (3:57)
3. Marrakesh (7:44)
4. Toatelle (5:54)
5. Ujjaszuletes-2 (13:09)
6. Dr. MabuseEzR szame (Absolute bonus) (5:31)
Time: 58:03

Musicians:
- Csaba Bogdán / guitars
- István Cziglán / guitars
- Róbert Erdész / keyboards
- Gábor Kisszabó / bass
- Attila Kollár / flute
- Ferenc Raus / drums

GUEST:
- Vilmos Tóth / drums

Format: flac (image) = 356 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 151 mb = Mega

Solaris - NOAB [2005] - Hungary / Hungria


Para aqueles que apreciam a música do Solaris este é um lançamento essencial. Ele contém grande jogo de todas os membros. A flauta de Attila Kollar é proeminente. O destaque é a trilha "NOAB", um épico marcando 21 minutos de duração. Esta faixa contém elementos da música "LA 2026" e partes de "Nostradamus" e por isso é muito mais um híbrido. O resto das faixas são bem agradáveis. Indicado para os fãs da banda.


Tracks:
1. NOAB (21:48)
2. Szep, uj vilog (3:57)
3. Marrakesh (7:44)
4. Toatelle (5:54)
5. Ujjaszuletes-2 (13:09)
6. Dr. MabuseEzR szame (Absolute bonus) (5:31)
Time: 58:03

Musicians:
- Csaba Bogdán / guitars
- István Cziglán / guitars
- Róbert Erdész / keyboards
- Gábor Kisszabó / bass
- Attila Kollár / flute
- Ferenc Raus / drums

GUEST:
- Vilmos Tóth / drums

Format: flac (image) = 356 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 151 mb = Mega

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Solaris - Back To The Roots [2000] - Hungary / Hungria


A fim de celebrar o seu 20º aniversário o Solaris decidiu lançar um material inédito do período entre 1980-2000. Este CD é o primeiro de uma série de lançamentos. O som é decente e é emocionante para perceber o quão rápido o Solaris mudou de uma banda que estava à procura de uma direção em um grupo dinâmico e espetacular.

A primeira composição "Revival" tem um som polido que caracteriza lotes de flauta e guitarra em um trabalho cru e dificilmente aparecem teclados. A parte final contém um grande jogo sensacional na flauta e violão, o clima tem um tom Morish. A segunda faixa "Counterpoint - original version" é a versão original de seu primeiro single, é o Solaris típico e único: uma mistura progressiva de Jazz, Música Clássica e Rock. Em seguida, a suíte "Solaris" (com quase 20 minutos) que é carregado com quebras fortes e solos, os teclados estão mais presentes. Em seguida é a inédita "Distant Fire", que tem um belo trabalho na flauta e violão, mas esta composição início soa um pouco imatura, a banda ainda está à procura de sua fórmula. A última faixa é a emocionante, muito propulsora "Undefeatable" em uma versão de 10 minutos com interação entre a sensacional guitarra, flauta e teclados e surpreendente solos, este é o Solaris sua marca registrada, esplêndido!

Este CD é um bom complemento para seus álbuns anteriores, mas você tem que olhar para ele como um bônus para os fãs.


Tracks:
1. Revival (11:53)
2. Counterpoint - original version (4:16)
3. Solaris Suite parts: (18:09)
a) Ancient Viking
b) Solaris
c) Waves of the Dune
4. Distant Fire (4:36)
5. Undefeatable - 1980 (9:05)
Total: 48:01

Musicians:
- István Cziglán / guitars
- Róbert Erdész / keyboards
- Attila Kollár / flute
- Attila Seres / bass
- Vilmos Tóth / drums

Format: flac (image) = 316 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 126 mb = Yandex

Solaris - Back To The Roots [2000] - Hungary / Hungria


A fim de celebrar o seu 20º aniversário o Solaris decidiu lançar um material inédito do período entre 1980-2000. Este CD é o primeiro de uma série de lançamentos. O som é decente e é emocionante para perceber o quão rápido o Solaris mudou de uma banda que estava à procura de uma direção em um grupo dinâmico e espetacular.

A primeira composição "Revival" tem um som polido que caracteriza lotes de flauta e guitarra em um trabalho cru e dificilmente aparecem teclados. A parte final contém um grande jogo sensacional na flauta e violão, o clima tem um tom Morish. A segunda faixa "Counterpoint - original version" é a versão original de seu primeiro single, é o Solaris típico e único: uma mistura progressiva de Jazz, Música Clássica e Rock. Em seguida, a suíte "Solaris" (com quase 20 minutos) que é carregado com quebras fortes e solos, os teclados estão mais presentes. Em seguida é a inédita "Distant Fire", que tem um belo trabalho na flauta e violão, mas esta composição início soa um pouco imatura, a banda ainda está à procura de sua fórmula. A última faixa é a emocionante, muito propulsora "Undefeatable" em uma versão de 10 minutos com interação entre a sensacional guitarra, flauta e teclados e surpreendente solos, este é o Solaris sua marca registrada, esplêndido!

Este CD é um bom complemento para seus álbuns anteriores, mas você tem que olhar para ele como um bônus para os fãs.


Tracks:
1. Revival (11:53)
2. Counterpoint - original version (4:16)
3. Solaris Suite parts: (18:09)
a) Ancient Viking
b) Solaris
c) Waves of the Dune
4. Distant Fire (4:36)
5. Undefeatable - 1980 (9:05)
Total: 48:01

Musicians:
- István Cziglán / guitars
- Róbert Erdész / keyboards
- Attila Kollár / flute
- Attila Seres / bass
- Vilmos Tóth / drums

Format: flac (image) = 316 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 126 mb = Yandex

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Omega - Gammapolisz [1979] / Gammapolis [1979] - Hungary / Hungria



Lançamento em CD disponibilizando as duas versões do disco "Gammapolis". As versões são a húngara, cujo título original é "Gammapolisz" e a inglesa, ambas lançadas em 1979. Vale o download.



Tracklist
"Gammapolisz" - 1979
1. Start-Gammapolis (6:28)
2. Nyári éjek asszonya (4:32)
3. Õrültek órája (5:09)
4. A számûzött (4:28)
5. Hajnal a város felett (7:09)
6. Arcnélkül ember (2:090
7. Ezüst esõ (5:11)
8. Gammapolis II (7:39)

"Gammapolis" - 1979
9. Dawn in the city
10. Rush hour
11. Lady of the summer night
12. Man without a face
13. Silver rain
14. Gammapolis II
Time: 73:14

Musicians:
Laszlo Benko - keyboards
Ferenc Debreceni - drums
Janos Kobor - vocals
Tamas Mihaly - bass
Gyorgy Molnar - guitar

Format: flac (image) = 524 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 188 mb = Mega

Omega - Gammapolisz [1979] / Gammapolis [1979] - Hungary / Hungria

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Omega - Gammapolis [1979] - Hungary / Hungria



Muitos fãs da banda húngara Omega consideram este álbum como o seu melhor trabalho. As músicas são melódicas e muito acessíveis, e a maioria delas soam um pouco Pop. A maioria das faixas são apenas números de Rock/Pop com uma sensação spacey fornecida pelos teclados e bastante simplistas em sua estrutura. Mas, para o deleite dos amantes do gênero Prog três faixas são bons exemplos do gênero, são elas: "Dawn in the City", "Gammapolis 1" e, em certa medida, também "Silver Rain". 

Em resumo, não pode ser considerado um disco sem seus méritos, pois ainda apresenta todos os elementos do Space Rock, aqui e ali, que levou essa banda à uma certa fama no ocidente.


Tracks:
1. Dawn in the City (7:10)
2. Lady of the Summer Night (4:32)
3. Rush Hour (4:39)
4. Return of the Outcast (4:25)
5. Start (2:25)
6. Gammapolis (4:03)
7. The Man without a Face (2:02)
8. Silver Rain (5:16)
9. Gammapolis 2 (7:21)
Time: 41:53

This is the English edition of the Hungarian album "Gammapolis"

Musicians:
- László Benkö / keyboards, Mellotron, synthesizers
- Ferenc Debreceni / drums, vibraphon, percussion
- János Kóbor / lead vocals
- Tamás Mihály / bass, acoustic guitars
- György Molnár / acoustic & electric guitar, guitar synthesizer

Format: ape (image) = 230 mb = Mega
Format: mp3 (320 kpbs) = 97 mb = Mega

Omega - Gammapolis [1979] - Hungary / Hungria

terça-feira, 7 de julho de 2015

Omega - Idórabló / Timerobber [1977] - Hungary / Hungria



Primeiro LP do Omega lançado em duas versões distintas, uma com vocais em Inglês (batizado de "Time Robber") e essa com vocais em Húngaro. O álbum foi lançado quando a banda estava no ápice de sua carreira em meados da década de 1970. a gravação foi realizada na Alemanha e o disco lançado tanto no rótulo Bellaphon na Alemanha e pelo selo Decca na Inglaterra. Este registro marcou uma mudança definitiva na direção musical da banda e ofereceu um novo tipo de estilo excêntrico. Destaque para a primeira faixa, onde o tecladista Laszlo Benko mostra mais controle sobre os teclados e complementa a guitarra de Gyorgy Molnar nessa primeira peça que é dividida em três seções. "Ejfeli Koncert" ("Late Night Show") é um das favoritas. Ele apresenta um final dramático com escaldantes harmonias vocais e um preenchimento de guitarra introduz o grand finale. 


Tracks:
"Idörabló" - 1977: 
1. Napot hoztam, csillagot (5:39) 
2. Idõrabló (2:56)
3. Ablakok (3:26)
4. A névtelen utazó (5:24)
5. A könyvelõ álma (3:39)
6. Nélküled (7:04)
7. Éjféli koncert (5:49)

"Time Robber" - 1976
8. House Of Cards Part I (5:46)
9. Time Robber (2:57)
10. House Of Cards Part II (3:40)
11. Invitation (5:42)
12. Don't Keep Me Waiting (7:21)
13. An Accountant's Dream (3:37)
14. Late Night Show (6:33)
Time: 69:40

This is the remastered edition of the album "Időrabló" and its English version "Time Robber". All tracks are remixed.

Musicians:
- János Kobor / lead vocals
- László Benkö / keyboards, mellotron, vocals 
- György Molnár / guitar
- Tamás Mihály / bass, vocals 
- Ferenc Debreceni / drums, percussion

Format: flac (image) = 487 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 177 mb = Mega


Omega - Idórabló / Timerobber [1977] - Hungary / Hungria

Solaris - Nostradamus (Book of Prophecies) [1999] - Hungry / Hungria



Este álbum conceitual surgiu após a banda se apresentar no festival americano Progfest. O sucesso foi tanto que eles decidiram gravar outro álbum juntos, e este é o resultado. Para muitos fãs este é o seu melhor registro. Infelizmente o guitarrista original faleceu antes desta gravação, e no encarte a banda diz: "Todos nós sentimos que o velho Czigi deveria estar aqui entre nós". A música em si é principalmente "recheada" de flautas com uma quantidade razoável de guitarras, e os corais dão um toque agradável.

A primeira música "Book Of Prophecies" é um épico dividido em três partes com duração total  de 20 minutos. Ela abre com uma passagem bem dramática e teatral, logo após a  flauta e bateria assumirem a direção. Ela continua na seção dois com um longo pedaço 13 minutos. Um coro masculino entra e é bastante poderoso. A guitarra aparece antes de um grande vocal feminino. Esta parte é cativante, e o coro masculino está de volta. Isso é fantástico! Ficamos com vocais masculinos e femininos com excelente guitarra indo e vindo. O destaque da terceira seção é os solos de guitarra bem como o coro masculino agradável. "The Duel" tem  órgão e flauta. Algumas boas linhas de baixo guitarra e vocais para terminá-la. 

"The Lion's Empire" tem algum peso em um minuto. Alguns bons graves, um minuto depois seguido por uma melodia agradável e guitarra lenta. Seção uptempo de seis minutos em flauta terminando-a. "Wings Of The Phoenix" é liderada pelo violão e flauta. "Ship Of Darkness" apresenta alguns tambores grandes que são implacáveis. Guitarra e flauta com algum peso chegam antes de 4 minutos. Um baixo, bateria e flauta traçam a melodia aos 5 minutos. 

"Wargames" é basicamente um Prog Rock com "rosto" oitentista, apresenta belos vocais femininos mais tarde. "The Moment Of Truth" é composta de duas músicas. O sax abre o processo como um som agradável e sólido. A guitarra é excelente. Uma passagem edificante antes de 3 minutos. O coro masculino surge e a primeira seção termina com uma bela guitarra. A segunda seção é bastante pastoral com piano, violão suave e cordas.

É difícil não se encantar com esse disco que fez ressurgir o Solaris antes da virada do milênio. É um disco muito sinfônico e bonito.

Tracks:
1 to 3. Book Of Prophecies (20:35)
4. The Duel (7:20)
5. The Lion's Empire (6:40)
6. Wings Of The Phoenix (5:08)
7. Ship Of Darkness (5:46)
8. Wargames (4:28)
9 to 10. The Moment Of Truth (6:40)
11. Book Of Prophecies Radio Edit (3:25)
Time: 60:02

Musicians:
- Casaba Bogdan / guitar
- Robert Erdesz / Waldorf wave, Akai S6000, Moog prodigy, Emu protheus XR-2, Doepfer MS-404, Korg Mi, Yamaha TX 802
- Laszlo Gomor / Sonor drums, Zildjian cymbals
- Gabor Kisszabo / Washburn & Fernandes jazz-bass
- Attila Kollar / flute, vocals
- Tamas Pocs / Warwick fortress bass, Rickenbacker-4001

Format: ape (image) = 397 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 137 mb = Mega

Solaris - Nostradamus (Book of Prophecies) [1999] - Hungry / Hungria

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

East - Resék A Falón [1983] - Hungary / Hungria



Depois do maravilhoso álbum "Hűség", o EAST afastou-se do Rock Sinfônico em direção a uma sonoridade mais oitentista, algo como "Signals" do RUSH (mal comparando). Eles fizeram isso a partir de sua própria decisão. Um novo vocalista entrou na banda, József Tisza, que possuía  sua voz bem semelhante ao antigo vocalista. 

A faixa de abertura "Resek a Falon ~ Cracks in The Wall" é a canção pop beirando o estilo New Wave oitentista. muito cativante com letras sérias sobre a paranoia orwelliana, o que as pessoas sentiam no comunismo por trás da cortina de ferro. 


"Az Idegen  ~ The Stranger" é triste, uma canção nostálgica sobre um homem, que voltou a localidade de sua infância, com um curto, mas muito bom solo de guitarra. 

"Mintha Mégis ~ As If" é uma canção de Rock com teclados muito bons. Tem um balanço muito agradável.

"Száguldj Velem ~ Race with me" começa bem similar à  "Tom Sawyer" do RUSH, o vocal é compartilhado por  Péter Móczan e József Tisza

Um número istrumental, "Különvonaton ~ Private Train" fecha o primeiro lado do vinil. 

"Földközelben ~ Flying Low" é uma simples faixa "radio friendly" canção New Wave com outras do disco.


A próxima, "Brainwash" é um eletronic New wave Rock, com vocoder. 

"Az utolsó éjszaka ~ The Last Night" é a melhor música. Tranquila e serena, bem aproximada dos seus discos Prog.

"Az óra Jar ~ The clock is running" é o número muito enérgico, com grande solo de sintetizador no meio. 

A última "TANC um parázson ~ Dancing on members" é um instrumental também. 


A banda tentou equilibrar entre o bom e velho Rock Progressivo e o moderno AOR e New Wave mas não teve êxito perfeitamente. 


Tracks:
1. Rések a falon ~ Cracks in the wall
2. Az idegen ~ The stranger
3. Mintha mégis ~ As if
4. Száguldj velem ~ Race with me
5. Különvonaton ~ Private train
6. Földközelben ~ Flying low
7. Agymosás ~ Brainwash
8. Az utolsó éjszaka ~ The last night
9. Az óra jár ~ The clock is running
10. Tánc a paraázson ~ Dancing on members
Time: 43:45

Musicians:
- István Kárily / drums
- Péter Mózcán / bass, back vocals
- Géza Pálvölgyi / keyboards
- József Tisza / lead vocals
- János Varga / guitar

Format: flac (image) = 266 mb = Mega / pass = makina
Format: mp3 (320 kbps) = 106 mb = Mega

East - Resék A Falón [1983] - Hungary / Hungria

segunda-feira, 2 de junho de 2014

East - Huség [1982] - Hungary - Hungria


Devido ao fato de que os regimes da Europa Oriental não gostavam muito de Rock, que era visto como uma expressão do capitalismo, o Rock Progressivo não chegou a Hungria exatamente ao mesmo tempo do que no resto da Europa, por isso, durante os anos 80, quando o resto do o mundo via o Rock progressivo como um sub-gênero arcaico e se rendeu ao Synth Pop, bandas como EAST entraram já na "onda" do Neo Prog, mas muito perto da Música Sinfônica dos pioneiros, porém com elementos extras que a tornaram mais rica do que nunca.

"Hüség" (Faith) começa com a música auto-intitulada, que com um sentimento jazzificado lembra um pouco de JEAN LUC PONTY, mas com uma componente sinfônico proeminente. As seções de teclado por Géza Palvolgyi são muito divertidas e combinam perfeitamente com a guitarra elétrica que dá um toque extra de Hard Rock.

"Keresd Onmagad" (Search Yourself) começa extremamente dramática com uma introdução de órgão forte que leva a uma seção vocal em húngaro que, sem perder a atmosfera obscura, suaviza um pouco o clima, os solos de guitarra são ótimos !!

"Magikus Ero" (Magical Power) segue o caminho da faixa anterior com um órgão forte e misterioso, mas logo se transforma se tornando bem rápida com teclados e guitarras frenéticas exuberantes, uma mudança agradável que mostra a versatilidade e a capacidade de mover-se radicalmente de um estilo para outro, extremamente dramática.

"En Voltam ...." (It Was Me) nos coloca diante de uma nova mudança de atmosfera, mais orientado para o som de ALAN PARSONS PROJECT (álbum "Pyramid"), ainda que seja uma faixa simples, mantém o interesse do fâ de Prog-Rock, devido ao excelente órgão e solos Mellotron, outra boa canção.

"A Végtelen tér Oröme" (The Happiness of Endless Space) é um interlúdio instrumental curto que funciona como uma introdução para "Üjjászületés" (Born Again), que privilegia o lado Folk melódico da banda, com uma bela melodia que apenas apresenta mudanças perto do fim com outra excelente órgão e passagem baseado em Mellotron.

"Ablakok" (Windows) mostra uma outra face da banda, agora eles se aproximamde algum tipo de Space Rock com ambientes pesados ​​diluído nos vocais, uma atmosfera que é mantido em "Vesztesek" (Losers), desta vez com um desempenho muito melhor de Miklós Zareczky nos vocais e um solo de guitarra surpreendente por János Varga no estilo de David Gilmour.

"Felhókón Sétálva" (Walking on the Clouds) como o nome indica é outra canção "space", que começa suave com um agradável piano ficando mais rápida e mais forte à medida que avança, por outro lado "Varni Kell" (You must Wait) é uma faixa sinfônica requintada com bom desempenho de piano e vocais fortes, apoiadas em toda as banda que faz um trabalho excelente. "Hüség" termina com "Merenges" (Meditation), uma canção melancólica curta que "desaparece' suavemente com o álbum.

Mesmo que alguns fãs exigentes de Prog possam achar muito soft, eu acredito que estamos diante de um excelente álbum gravado quando o gênero estava agonizando no resto do mundo e este disco impulsiona o desenvolvimento do rock progressivo em uma região que estava dando os primeiros passos para Rock.



Tracks:
1. Hüség ~ Faith (3:43)
2. Keresd õnmagad ~ Search yourself (4:23) 
3. Mágikus eró ~ Magical power (2:55)
4. Én voltam ~ It was me (5:56)
5. A végtelen tér öröme ~ The happiness of the endless space (1:38)
6. Üjjászületés ~ Born again (3:40)
7. Ablakok ~ Windows (5:44)
8. Vesztesek ~ Losers (3:44)
9. Felhókón sétálva ~ Walkin' on the clouds (4:22) 
10. Várni kell ~ You must wait (5:56) 
11. Merengés ~ Meditation (2:14)
Total Time: 44:17

Musicians:
- István Király / drums, percussion 
- Péter Móczán / bass 
- Géza Pálvölgyi / keyboards 
- János Varga / guitar
- Miklós Zareczky / lead vocals

Format: flac (tracks + cue) = 274 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 105 mb = Mega

East - Huség [1982] - Hungary - Hungria


Devido ao fato de que os regimes da Europa Oriental não gostavam muito de Rock, que era visto como uma expressão do capitalismo, o Rock Progressivo não chegou a Hungria exatamente ao mesmo tempo do que no resto da Europa, por isso, durante os anos 80, quando o resto do o mundo via o Rock progressivo como um sub-gênero arcaico e se rendeu ao Synth Pop, bandas como EAST entraram já na "onda" do Neo Prog, mas muito perto da Música Sinfônica dos pioneiros, porém com elementos extras que a tornaram mais rica do que nunca.

"Hüség" (Faith) começa com a música auto-intitulada, que com um sentimento jazzificado lembra um pouco de JEAN LUC PONTY, mas com uma componente sinfônico proeminente. As seções de teclado por Géza Palvolgyi são muito divertidas e combinam perfeitamente com a guitarra elétrica que dá um toque extra de Hard Rock.

"Keresd Onmagad" (Search Yourself) começa extremamente dramática com uma introdução de órgão forte que leva a uma seção vocal em húngaro que, sem perder a atmosfera obscura, suaviza um pouco o clima, os solos de guitarra são ótimos !!

"Magikus Ero" (Magical Power) segue o caminho da faixa anterior com um órgão forte e misterioso, mas logo se transforma se tornando bem rápida com teclados e guitarras frenéticas exuberantes, uma mudança agradável que mostra a versatilidade e a capacidade de mover-se radicalmente de um estilo para outro, extremamente dramática.

"En Voltam ...." (It Was Me) nos coloca diante de uma nova mudança de atmosfera, mais orientado para o som de ALAN PARSONS PROJECT (álbum "Pyramid"), ainda que seja uma faixa simples, mantém o interesse do fâ de Prog-Rock, devido ao excelente órgão e solos Mellotron, outra boa canção.

"A Végtelen tér Oröme" (The Happiness of Endless Space) é um interlúdio instrumental curto que funciona como uma introdução para "Üjjászületés" (Born Again), que privilegia o lado Folk melódico da banda, com uma bela melodia que apenas apresenta mudanças perto do fim com outra excelente órgão e passagem baseado em Mellotron.

"Ablakok" (Windows) mostra uma outra face da banda, agora eles se aproximamde algum tipo de Space Rock com ambientes pesados ​​diluído nos vocais, uma atmosfera que é mantido em "Vesztesek" (Losers), desta vez com um desempenho muito melhor de Miklós Zareczky nos vocais e um solo de guitarra surpreendente por János Varga no estilo de David Gilmour.

"Felhókón Sétálva" (Walking on the Clouds) como o nome indica é outra canção "space", que começa suave com um agradável piano ficando mais rápida e mais forte à medida que avança, por outro lado "Varni Kell" (You must Wait) é uma faixa sinfônica requintada com bom desempenho de piano e vocais fortes, apoiadas em toda as banda que faz um trabalho excelente. "Hüség" termina com "Merenges" (Meditation), uma canção melancólica curta que "desaparece' suavemente com o álbum.

Mesmo que alguns fãs exigentes de Prog possam achar muito soft, eu acredito que estamos diante de um excelente álbum gravado quando o gênero estava agonizando no resto do mundo e este disco impulsiona o desenvolvimento do rock progressivo em uma região que estava dando os primeiros passos para Rock.



Tracks:
1. Hüség ~ Faith (3:43)
2. Keresd õnmagad ~ Search yourself (4:23) 
3. Mágikus eró ~ Magical power (2:55)
4. Én voltam ~ It was me (5:56)
5. A végtelen tér öröme ~ The happiness of the endless space (1:38)
6. Üjjászületés ~ Born again (3:40)
7. Ablakok ~ Windows (5:44)
8. Vesztesek ~ Losers (3:44)
9. Felhókón sétálva ~ Walkin' on the clouds (4:22) 
10. Várni kell ~ You must wait (5:56) 
11. Merengés ~ Meditation (2:14)
Total Time: 44:17

Musicians:
- István Király / drums, percussion 
- Péter Móczán / bass 
- Géza Pálvölgyi / keyboards 
- János Varga / guitar
- Miklós Zareczky / lead vocals

Format: flac (tracks + cue) = 274 mb = Mega
Format: mp3 (320 kbps) = 105 mb = Mega

domingo, 1 de junho de 2014

East - Jatekok [1981] - Hungary / Hungria


Outra entrada agradável na lista de boas bandas de Prog Rock do leste europeu, EAST foi uma banda da Hungria, que foi formado em meados da década de 70 em Szeged e liderada pelo guitarrista carismático Janos Varga (mais tarde, ele seguiu uma carreira solo).  No entanto, a banda deve ter que esperar 5 a 6 anos antes de liberar seus debut. Isso aconteceria em 1981, sob o título'' Jatekok'' (Games), certamente em uma época ruim para produzir música rock sofisticado.

O álbum começa com "Nyitány ~ Overture", que começa com uma introdução orientada a percussão muito pomposa e até mesmo marcial e, em seguida, do nada um teclado muito rápido muda o "humor" da música  para um lado mais sinfônico com ecos de Hard Prog,  parece que a banda teve horror ao silêncio, porque a cada segundo da faixa está cheia de sons, não há tempo para descansar.

"Messze um Felhõkkel ~ Far Away the Clouds" é uma canção diferente, muito melódica, muito mais simples, mas depois encontramos uma mudança radical, a banda começa realmente rock, eles acrescentam teclados exuberantes e guitarras distorcidas, talvez até abusam um pouco desse som "pesado".

"Szállj Mais Fel ~ Fly up Now" começa como uma faixa Aorish cantada em húngaro.

"Kék-Fekete Látomás ~ Blue-Black Vision" começa muito eletrônica, lembrando-me de Vangelis Albedo 0,39, teclados espaciais como o esperado, mas com uma guitarra jazzy a la Mc'Laughlin e então  uma súbita mudança nos leva a um território diferente, desta vez mais perto de Pink Floyd, mas com vocais melódicos em húngaro, muito interessante.

"Gyémántmadár ~ Diamond Bird" leva-nos de novo em território eletrônico, teclados suaves, efeitos sonoros espaciais, um baixo leve no fundo, flui suavemente de início até o meio, onde a banda entra com tudo o que têm em um estilo claramente PINK FLOYD, esses caras sabem o seu negócio.

"Lélegzet ~ Breath" é outra canção que abusa de efeitos sonoros e ruídos Spacey, parece ser um padrão. 

"nezz rám ~ Look at Me", que se inicia mais promissora, mais rápida e mais elaborada.

"üzenet ~ Message" tem a sua introdução pomposa e forte até começar a parte vocal.

"Epílóg ~ Epíloue", começa com uma peça barroca desperta o interesse imediato é evidente que Géza Palvolgyi tem uma formação de teclado bem sólida, sóbria e pomposo e  cria suspense enquanto o solo de órgão continua aumentando em intensidade e se transforma em "Remény ~ Expectation" outra faixa orientada ao eletrônico, mas desta vez mais dinâmica e versátil do que o anterior, a banda encerra com um final muito forte e poderoso.


Tracks:
1. Nyitány ~ Overture 
2. Messze a felhõkkel ~ Far away with the clouds 
3. Szállj most fel ~ Fly up now 
4. Kék-fekete látomás ~ Blue-black vision 
5. Gyémántmadár ~ Diamond bird
6. Lélegzet ~ Breath 
7. Nézz rám ~ Look at me 
8. Üzenet ~ Message 
9. Epilóg ~ Epilogue 
10. Remény ~ Expectation
Total Time: 39:31

Musicians:
- István Király drums, percussion 
- Péter Móczán / bass 
- Géza Pálvólgyi / keyboards 
- János Varga / guitar
- Miklós Zareczky / lead vocals

Format: flac (tracks + cue) = 236 mb = Mega / pass = progsounds

East - Jatekok [1981] - Hungary / Hungria


Outra entrada agradável na lista de boas bandas de Prog Rock do leste europeu, EAST foi uma banda da Hungria, que foi formado em meados da década de 70 em Szeged e liderada pelo guitarrista carismático Janos Varga (mais tarde, ele seguiu uma carreira solo).  No entanto, a banda deve ter que esperar 5 a 6 anos antes de liberar seus debut. Isso aconteceria em 1981, sob o título'' Jatekok'' (Games), certamente em uma época ruim para produzir música rock sofisticado.

O álbum começa com "Nyitány ~ Overture", que começa com uma introdução orientada a percussão muito pomposa e até mesmo marcial e, em seguida, do nada um teclado muito rápido muda o "humor" da música  para um lado mais sinfônico com ecos de Hard Prog,  parece que a banda teve horror ao silêncio, porque a cada segundo da faixa está cheia de sons, não há tempo para descansar.

"Messze um Felhõkkel ~ Far Away the Clouds" é uma canção diferente, muito melódica, muito mais simples, mas depois encontramos uma mudança radical, a banda começa realmente rock, eles acrescentam teclados exuberantes e guitarras distorcidas, talvez até abusam um pouco desse som "pesado".

"Szállj Mais Fel ~ Fly up Now" começa como uma faixa Aorish cantada em húngaro.

"Kék-Fekete Látomás ~ Blue-Black Vision" começa muito eletrônica, lembrando-me de Vangelis Albedo 0,39, teclados espaciais como o esperado, mas com uma guitarra jazzy a la Mc'Laughlin e então  uma súbita mudança nos leva a um território diferente, desta vez mais perto de Pink Floyd, mas com vocais melódicos em húngaro, muito interessante.

"Gyémántmadár ~ Diamond Bird" leva-nos de novo em território eletrônico, teclados suaves, efeitos sonoros espaciais, um baixo leve no fundo, flui suavemente de início até o meio, onde a banda entra com tudo o que têm em um estilo claramente PINK FLOYD, esses caras sabem o seu negócio.

"Lélegzet ~ Breath" é outra canção que abusa de efeitos sonoros e ruídos Spacey, parece ser um padrão. 

"nezz rám ~ Look at Me", que se inicia mais promissora, mais rápida e mais elaborada.

"üzenet ~ Message" tem a sua introdução pomposa e forte até começar a parte vocal.

"Epílóg ~ Epíloue", começa com uma peça barroca desperta o interesse imediato é evidente que Géza Palvolgyi tem uma formação de teclado bem sólida, sóbria e pomposo e  cria suspense enquanto o solo de órgão continua aumentando em intensidade e se transforma em "Remény ~ Expectation" outra faixa orientada ao eletrônico, mas desta vez mais dinâmica e versátil do que o anterior, a banda encerra com um final muito forte e poderoso.


Tracks:
1. Nyitány ~ Overture 
2. Messze a felhõkkel ~ Far away with the clouds 
3. Szállj most fel ~ Fly up now 
4. Kék-fekete látomás ~ Blue-black vision 
5. Gyémántmadár ~ Diamond bird
6. Lélegzet ~ Breath 
7. Nézz rám ~ Look at me 
8. Üzenet ~ Message 
9. Epilóg ~ Epilogue 
10. Remény ~ Expectation
Total Time: 39:31

Musicians:
- István Király drums, percussion 
- Péter Móczán / bass 
- Géza Pálvólgyi / keyboards 
- János Varga / guitar
- Miklós Zareczky / lead vocals

Format: flac (tracks + cue) = 236 mb = Mega / pass = progsounds

terça-feira, 20 de maio de 2014

Solaris - Marsbéli Krónikak [SHM- CD REMASTERED WITH BONUS TRACKS] [1984] - Hungary / Hungria




Solaris é uma banda de Prog Sinfônico húngara que apenas adora romances de ficção científica. Seu nome vem do romance escrito por Stanisław Lem e o título de seu álbum de estréia "Marsbéli Krónikák" (The Martian Chronicles) vem do famoso livro de Ray Bradbury. A música é quase toda instrumental salvo uma introdução vocal eletrônica que não é marciana, mas, na verdade, húngara. O suposto tema do álbum é para destacar o enredo do romance onde os seres humanos fogem da Terra (que é comparada a uma lixeira) e vão colonizar Marte.

A banda foi formada em Budapeste em 1980 e passou por muitas formações antes de liberar este álbum. Este é um álbum estranho no mundo do Prog, por ele praticamente não ter assinaturas de tempo estranhas e seu foco é diretamente sobre o desenvolvimento melódico que soa como uma forma progressiva nos anos 80. Embora existam sons do Leste Europeu escassos fazendo o seu caminho na mistura, eu tenho que dizer que os sons da flauta, violão e teclados me fazem pensar mais de um álbum feito por uma banda dos Andes, como Los Jaivas se tivessem aumentado o seu som sinfônico e fazer dele um pouco mais agressivo. Aliás a agressividade de algumas canções introduz no cenário do gênero, algo que se pode classificar como um Heavy Progressivo.

 Neste disco o grande destaque é a interação entre as guitarras com a flauta e teclados, os demais instrumentos trabalham para engrandecer esta interação não se destacando tanto assim. Eu só posso acrescentar que se trata de um grande disco, numa década muito ruim para o Progressivo

 INDISPENSÁVEL !!!


Tracks:
1. Marsbéli krónikák I. (The Martian Chronicles I.) (3:34)
2. Marsbéli krónikák II.-III. (The Martian Chronicles II.-III.) (6:32)
3. Marsbéli krónikák IV.-VI. (The Martian Chronicles IV.-VI.) (13:15)
4. M'ars poetica (6:39)
5. Ha felszáll a köd (If the Fog Ascends) (3:58)
6. Apokalipszis (Apocalypse) (3:44)
7. E-moll elõjáték (Prelude in E Minor) (0:29)
8. Legyõzhetetlen (Undefeatable) (2:46)
9. Solaris (4:53)
Bonus tracks:
10. Orchideák bolygója (The Planet of Orchids) (3:17)
11. A sárga kör (The Yellow Circle) (4:54)
Total Time: 54:01

Musicians:
- Istvan Czigman / electric & acoustic guitar, synthesizer, keyboard effect, percussion
- Robert Erdesz / piano, organ, synthesizer, keyboard effect
- Laszlo Gomor / drums, percussion, synthesizer
- Attila Kollar / flute, recorder, synthesizer, keyboard efect, percussion, vocals
- Tamas Pocs / bass
+
Guests:
- Casaba Bogdan / guitar
- Gabor Kisszabo / bass
- Ferenc Raus / drums, percussion
- Vilmos Toth / percussion

Format: flac (tracks + cue) = 325 mb = Torrent
Format: flac (tracks + cue) = 326 mb = Yandex / Depositfiles / pass = makina

Solaris - Marsbéli Krónikak [SHM- CD REMASTERED WITH BONUS TRACKS] [1984] - Hungary / Hungria


Pesquisar este blog

WORLD