Expandir Player
Mostrando postagens com marcador van der graaf generator. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador van der graaf generator. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Van Der Graaf Generator - Pawn Hearts [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] [1971] - United Kingdom / Reino Unido


Esse é o quarto lançamento de VAN DER GRAAF GENERATOR, e é o produto de uma banda de Rock Progressivo audaciosa em sua melhor forma. Tal como aconteceu com o seu antecessor, o álbum representa verdadeiramente Avant Garde, exigente e às vezes difícil, mas extremamente gratificante de ouvir.

Os elementos clássicos da banda estão todos aqui: começando pelo frontman Peter Hammill com letras introspectivas e vocais dinâmicos (Hammill é um mestre-contorcionista da voz); o piano, órgão, mellotron e sintetizadores de Banton; a bateria precisa de Evans (com laço quase militarista); o sax de Jackson exclusivo (um componente essencial do som da banda) e flauta ocasional. Para adoçar ainda mais o mix, Robert Fripp atua novamente como guitarrista convidado, acrescentando sua hábil, toque inimitável ao musical "canvas"

"Pawn Hearts" mostra uma maturidade e facilidade de execução, que parece atingir  alturas rarefeitas de arte sem tentar tão difícil de ser "entendido", como "H To He..." fez, e, assim, consegue que tudo seja mais retumbante. 

O conteúdo lírico é tão profundo como a música. a faixa de abertura "Lemmings," lida com a falibilidade e a natureza corrupta dos líderes, e a loucura de segui-los cegamente, caminhado, para a nossa destruição. Escrita durante os dias negros da Guerra do Vietnã e a Guerra Fria (que fez o apocalipse nuclear uma possibilidade por demais real), as letras defendem o questionamento da autoridade, e a escolha de um caminho próprio. Enquanto o imaginário é as vezes perturbador, a música é em última análise, uma mensagem de esperança: a ação individual ainda pode superar a "máquina gordurosa que desliza sobre os trilhos, mentes e corpos em estacas de aço empalados jovens", e, assim, garantir um futuro melhor para nossos filhos.

A próxima música, "Man-Erg" é uma das melhores da banda, com letras poéticas, sensíveis, perspicazes e comoventes escritas por Hammill. O tema é talvez o mais perene em toda a arte: o da dicotomia (ou dualidade) da natureza humana, e da fragilidade da identidade. Intelecto e instinto, razão e paixão, disputam o controle dentro de todos nós. Hammill canta que: "o assassino vive dentro de mim, na compania inquieta com os anjos", em seguida, gritos de angústia: "Como posso ser livre - como posso sair? Sou eu realmente - eu sou outra pessoa?" Esta é uma canção que poderia facilmente se presta à análise de cursos de literatura ou filosofia de uma universidade, como um retrato muito eficaz da capacidade humana universal de fazer o bem ou o mal.

A faixa de encerramento é uma obra-prima do VDGG e reconhecida como tal, e que muitos fãs citam como coroamento da banda. A execução de cerca de 23 minutos de duração, "A Plague of Lighthouse Keepers" antecede GENESIS em "Supper's Ready" por um ano, e está portanto, entre as primeiras músicas "full side" no Rock Progressivo. A música e as palavras são por vezes sombrias e poderosas, sujas, catárticas e edificantes, eminentemente memoráveis, é a essência destilada de início Progressivo. Hammill lança-se como um guardião solitário de um farol, que tem vista sobre as águas na noite escura de sua fortaleza. Cheias de pesar pelo fracasso de relacionamentos passados, e desejo da compania humana. .. Ele pondera a natureza da liberdade de escolha, se pergunta: "qual é o meu papel na ostentação?", antes do suicídio/morte, finalmente,  a paz: "Eu acho que o fim é o começo  de se sentir muito feliz. Agora todas as coisas são à parte - todas as coisas são uma parte. A guitarra de Robert Fripp e um coro unindo-se ao mellotron e parecem sinalizar a libertação e a possível ascensão a um pós-vida celestial, somos levados a concluir que temos a reviver uma das obras-primas de definição do gênero.

Esse disco é uma conquista brilhante. De nenhuma maneira um é álbum "fácil", não deixa de ser gratificante e necessário para os ouvidos de fãs sérios de Rock Progressivo Clássico.




Tracks:
1. Lemmings (11:39) 
2. Man-Erg (10:21) 
3. A Plague of Lighthouse Keepers (23:04) 
a) Eyewitness 
b) Pictures / Lighthouse 
c) Eyewitness 
d) S.H.M. 
e) Presence of the Night 
f) Kosmos Tours 
g) (Custard's) Last Stand 
h) The Clot Thickens 
i) Land's End 
j) We Go Now 
Bonus Tracks:
4. Theme One (original mix) (3:15)
5. W (first version) (5:04)
6. Angle of Incidents (4:48)
7. Ponker's Theme (1:28)
8. Diminutions (6:00)
Time: 65:35

Musicians:
- Peter Hammill / lead vocals, guitars, pianos 
- Hugh Banton / organs, piano, mellotron, bass pedals, bass guitar, synthesiser, vocals 
- Guy Evans / drums and percussion 
- David Jackson / saxes, flute, vocals 
+
GUEST: 
- Robert Fripp / electric guitar

Format: ape (image + cue) = 549 mb = Depositfiles (part 1) / Depositfiles (part 2) / Depositfiles (part 3) / pass = makina
Format: mp3 (320 kbps) = 147 mb  =  Yandex / pass = makina
scans / pass = makina

Pesquisar este blog

WORLD