Mostrando postagens com marcador pantheon. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pantheon. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Pantheon - Orion [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] [1972] - France / França


Sem dúvida, uma das bandas mais esquecidas no Movimento Canterbury, talvez pelo fato de ser originária da Holanda. Este quarteto notável não teve o mesmo impacto que seus compatriotas do SUPERSISTER, embora sua música seja realmente excelente. A música foi formada em um trabalho esplêndido com instrumentos de sopro, saxofone e flauta, excelentes diretrizes voltadas para o Jazz, onde podemos ouvir a dualidade marcante entre o sax e teclados, sintetizador totalmente integrado ao Quarteto proposto e marcante.

Todos estes pontos são combinados para dar uma sonoridade de uma dimensão particular, mesmo dentro do Movimento Canterbury.

Composto pelos seguintes músicos: Ruud Woutersen (órgão, piano elétrico, acústico, espineta, sintetizadores, ARP synth, vocais), Albert Veldkamp (guitarra elétrica, baixo elétrico e acústico) Hans Boer (saxofone, oboé e flauta), e Rob Verhoeven (bateria e percussão).

"Daybreak" inicia o álbum, que como o próprio nome sugere é um jogo divertido, harmoniosa entre a flauta e teclado, vozes corais dão um toque único de otimismo, inclui a combinação de arpejos de guitarra elétrica de Veldkamp e Woutersen, acordes de piano, que traz à mente a não menos fantástica banda CARAVAN

"Anais" tem um padrão de acordes suaves acompanhados por violão, um prelúdio que anuncia a entrada do grupo como um todo. Aqui está o sintetizador ARP, uma conjunção entre o piano e a guitarra melódica,  teclado com ar barroco. 

"Apocalyps" é uma interpretação brilhante. Orientação Jazz, um piano e um sintetizador caminham lado a lado, o resto do grupo não está muito atrás, existe um interlúdio entre a flauta e bateria, técnica rítmica excelente em que Verhoeven mostra seu talento, mais uma vez magníficas vozes corais que continuam com uma flauta que é reforçada pela presença da seção rítmica O brilhante arpejos de guitarra, ajustando-se uma clara passagem "Tulliana" por volta dos 6'40, influência que nos faz lembrar de um momento de "Thick as a Brick", a faixa termina com outro coral de piano em interlúdio. 

"The Madman", é uma breve interpretação que destaca o sintetizador manjeo com arpejos angustiantes acompanhados por bateria e baixo. 

'"Orion", a peça do disco que mais certamente nos mostra o padrão que temos ouvido ao longo do trabalho: vocais pendentes continuam a ser uma ponte onde se destaca o sax e piano. Quase dois minutos, coros etéreos e novamente um desempenho de teclado, mudança de energia, acompanhada pela secção rítmica, o sax novamente magnífico, arranjos corais quase clericais que finalmente conseguem dar lugar a interpretação lírica assemelhando-se quase a uma missa. Três faixas adicionais estão presentes na versão remasterizada e extendida. Todas de igual valor de talento e criatividade.

Muito provavelmente, este versátil trabalho canterburiano não é de grande interesse para a geração mais jovem, no entanto, a música maravilhosa que nos dá Pantheon nos faz repensar a grande importância que possui o Movimento Canterbury no desenvolvimento da parte do "jazzeada" do Rock Progressivo.

Release / Label:
Pseudonym ‎– CDP-1074-DD - Netherlands, 2001

Tracks:
01. Daybreak - 2:30
02. Anaïs - 4:57
03. Apocalyps - 10:52
04. The Madman - 1:19
05. Orion - 19:25
Bonus Tracks:
06. I want To Know - 2:41
07. Masturbation - 2:35
08. Anaïs (single version) - 3:26
Total Time: 48:08
All tracks written by Ruud Wouterson.

Musicians:
- Ruud Wouterson - organ, spinet, celesta, piano, ARP synthesizer, vocals
- Hans Boer - alto & tenor saxophones, flute, vocals
- Albert Veldkamp - bass, electric & acoustic guitar
- Rob Verhoeven - drums, percussion
+
- Tony Vos - producer

Format: Mp3 (320 kbps) = 112,2 Мb = yandex
Format: flac (tracks + cue) = 340 mb = Torrent

Pesquisar este blog

WORLD