Mostrando postagens com marcador Darryl Way / Darryl Way's Wolf / Wolf. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Darryl Way / Darryl Way's Wolf / Wolf. Mostrar todas as postagens

sábado, 5 de julho de 2014

Darryl Way's Wolf - Saturation Point [1973] - United Kingdom / Reino Unido



Nesse disco tudo é muito bem sincronizado, como GENTLE GIANT. Parece um pouco como o CURVED AIR, CARAVAN, HAPPY THE MAN e FRANK ZAPPA, mas este álbum realmente tem seu próprio som, e isso faz com que a banda seja muito interessante. O registro é principalmente instrumental, e os teclados são surpreendentemente raros, simples e discretos: eles consistem principalmente no piano elétrico. É um disco mais pesado, mais sinfônico e mais direto do que "Canis Lupus". Há algumas partes muito sérias, muito progressivas, e o violino é mais onipresente. Então, o que temos? Alguns momentos ardentes com poucos teclados, e o violino elétrico de seis cordas brilhando em todo o tempo! 

"The Ache" é uma abertura instrumental  "soberba" que mostra o poder de fogo, bem como a capacidade de Way em transmitir emoção e alegria. Ian Mosley também mostra o seu talento em músicas rápidas e agitadas, com viradas e jogo de pratos sensacionais.

"Two-Sisters" é um Rock britânico agradavelmente cantado.

"Slow Rag" é a vez de Etheridge mostrar todas as suas habilidades, em uníssono com Way, com muita elegância em um ultra romântico "feeling", uma incursão acústica ornamentada que tem uma atmosfera mediterrânea, quase bandoleada, construindo um paroxismo de emoção e depois declinando suavemente.

"Market Overture" possui algumas reflexões de piano elétrico, com uma supersônica "pegada" Jazzy de guitarra elétrica e um violino meio "infantil" que constrói inexoravelmente, adornos de percussão e baixo crescendo para um final cheio de improviso. 

"Game of X", um poder boogie com um violino escaldante, as vezes excêntrico e difícil, mas clima inconstantes é uma extensão diferente do improviso de violino nas divagações de guitarra estridentes. Quase Punk, às vezes, isso definitivamente mostra que o lobo tem grandes presas. 

"Saturation Point" é uma exploração em movimento lento que dá novamente a oportunidade dos teclados elétricos aparecerem e buscar novos sons para brincar, aparentemente sem esforço. As tendências clássicas aqui e um Jazz remoto ou Rock parecem ser a presa do dia. Etheridge, em particular, tem um estilo de guitarra elétrica que é extremamente impressionante.

O final é fantástico "Toy Symphony" (o ponto alto), que faz reverter para alguns classicismos de violino intensos. Darryl Way mostra seu completo domínio sobre este tremendo instrumento, optando por evitar notas gratuitas e retorcendo sentimento e emoção de sua arma confiável. Os poucos minutos finais são um frenesi emocionante que vai deixar você sem fôlego. Assim como ser perseguido por um lobo faminto. Definitivamente digno de seu Prog "zoológico".  Nota 10 !!!


Tracks:
1. The Ache (4:52) 
2. Two Sisters (4:21) 
3. Slow Rag (5:19) 
4. Market Overture (3:40) 
5. Game of X (5:49) 
6. Saturation Point (6:47) 
7. Toy Symphony (7:12) 
Total Time: 38:00

Musicians:
- Darryl Way / violin, viola, keyboards 
- John Etheridge / guitars 
- Dek Messecar / bass, vocals 
- Ian Mosley / drums

Format: ape (image + cue) = 322 mb = depositfiles (part 1) / depositfiles (part 2) / pass = progsounds
Format: mp3 (320 kbps) = 115 mb = Mega / pass = progsounds

domingo, 27 de abril de 2014

Darryl Way's Wolf - Canis Lupus [1973] [SHM-CD REMASTERED WITH BONUS TRACKS] - United Kingdom / Reino Unido


Após a primeira partida do CURVED AIR, Darryl Way formou a banda Wolf sua própria banda, que consistia do guitarrista John Etheridge (que mais tarde se juntaria ao SOFT MACHINE), o baixista e vocalista Dek Messecar e o baterista Ian Mosley (que pertenceria mais tarde ao TRACE e ao MARILLION). Essa formação gravou dois álbuns: "Canis Lupis", com o produtor Ian McDonald do KING CRIMSON e "Saturation Point" (ambos em 1973), e fez um concerto para a BBC no Paris Theatre de Londres. Em 1974 entrou para o Wolf o vocalista John Hodkison que gravou o álbum "Night Music", considerado o melhor. No final da turnê a banda se desfez e Darryl retornou a reformada CURVED AIR com Sonja Kristina. Mais tarde, ele manteve contato com os membros do Wolf em particular trabalhando com Ian Mosley no álbum "Birds" (1975). 

Com riffs de violino enigmáticos conduzindo o trabalho, "Canis Lupus" é realmente um álbum muito bom, tendo a sua liderança estilística do CURVED AIR, mas acrescentando um brilho mais forte, mais musculoso ao mesmo tempo abraçar elementos do Folk etéreo, Jazz e alguma interação instrumental surpreendente do quarteto. Os destaques são muitos; o riff de guitarra lindo abrindo "The Void" prova um verdadeiro deleite, a temível "Isolation Waltz" adiciona um poderoso verniz rock ao processo, enquanto a final, um "assombrado mini-épico" 'McDonald Lament' mostra Way em sua melhor forma.

Um álbum perfeito dentro do conceito eclético que se propõe a fazer. Nota 10 !!!

Release / Label:
Deram ‎– UICY-93826 - Japan, 2008

Tracks:
1. The Void (4:35) 
2. Isolation Waltz (4:37) 
3. Go Down (4:45) 
4. Wolf (4:06) 
5. Cadenza (4:48) 
6. Chanson Sans Paroles (6:28) 
7. McDonald's Lament (7:10) 
Total Time: 36:29

Musicians:
- Darryl Way / violin, viola, keyboards 
- Dek Messecar / bass 
- John Etheridge / guitar 
- Ian Mosley / drums 

Guest musician:
- Ian McDonald / piano, percussion (track 6)

Format: ape (cue + log) = 318 mb = Shareflare /  Letitbit
Format: mp3 (320 kbps) = 113 mb = Yandex

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Darryl Way's Wolf - Night Music [1974 SHM-CD] - Reino Unido / United Kingdom


O grande som do violino e um grande baixista, fazem de "Night Music" um grande álbum desta banda. Algumas peças são calmas, mas outras têm um ritmo mais impressionante, o que Darryl faz não é nada exagerado, mas muito equilibrado. Apesar de ser o mais comercial dos três que a banda lançou, não deixa de ser um grande álbum, especialmente para os fãs do CURVED AIR.

Empregando um vocalista em tempo integral, Colin Hodkinson, para esta realização (e ele tem uma ótima voz), permitiu que Dek Messecar, tivesse mais liberdade para os seus arranjos no baixo, muitas vezes deslumbrantes, e isso mostra a faixa de abertura fantástica, "The Envoy".

Destaques para a balada "Black Setember" suave e forte ao mesmo tempo, o debulhe semi jazzistico da instrumental "Flat 2-55", lembrando muito os trabalhos setentistas de JEAN-LUC PONTY e "Steal The World" com um refrão bem mais moderno em relação aos trabalhos anteriores.

A guitarra de Etheridge está firmemente no molde Jazz, e pode lembrar de um Allan Holdsworth "embrionário" em grande estilo. Este álbum, "Night Music", é uma jóia, bastante consistente, e os fãs das bandas acima referidos deve certamente desfrutar de toda a produção de WOLF. Não dá para considerar o álbúm no terreno Fusion, mas tem toques de Canterbury e é um grande exemplo de Prog- Jazz-Rock do Reino Unido


Tracks:
1. The Envoy (6:28) 
2. Black September (4:48) 
3. Flat 2-55 (6:52) 
4. Anteros (4:21) 
5. We're Watching You (5:10) 
6. Steal The World (4:18) 
7. Comrade Of The Nine (2:43) 
Time: 34:40

Musicians:
- John Hodkinson / vocals 
- Darryl Way / violin, keyboards 
- John Etheridge / guitars 
- Dek Messecar / bass 
- Ian Mosley / drums 

Format: flac (image + cue) = 256 mb = depositfiles (part 1) / depositfiles (part 2) / pass = progsounds
Format: flac (tracks + cue) = 256 mb = Mega / pass = progsounds
Format: mp3 (320 kbps) = 90 mb = Mega

Pesquisar este blog

WORLD