quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Anyone's Daughter • Adonis [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] [1979] • Germany/Alemanha


Chegando bem no final dos anos 70, isto é uma meia década após o pico do Prog-Rock tradicional, este álbum é uma alegria para os entusiastas do Rock Sinfônico, em particular aqueles que gostam de um sabor Teutônico. Influenciados por seus conterrâneos e colegas alemães GROBSCHNITT e ELOY, eles também possuem alguma influência inglesa de bandas como CAMEL. Este álbum destaca-se por uma suíte de 24 minutos que é um das melhores já realizadas em terreno Prog e constituída por quatro partes:

"Parte I: Come Away" é o mais puramente Symphonic Prog e também um dos segmentos mais maduros, mas no entanto poderoso, com vocais elegantes de Harald Bareth no estilo John Wetton era KC, teclados etéreos, e guitarras versáteis que vão desde a sonoridade acústica até solos refinados.

"Parte II: The Disguise", apresenta um lado de Fusion, que reaparecerá em vários momentos em álbuns futuros. Começa lento no Moog antes de ir aquecendo para uma seção vocal empolgante, mas breve, tudo e se restabelece.

"Parte III: Adonis", Em termos de desenvolvimento progressivo e potência, essa parte é a mais impressionante. Uma melodia linda, pela primeira vez em voz alta e, em seguida, alimentada por uma guitarra solo estilo Latimer, é seguido por uma duelo de teclado/guitarra brilhante, ardente e demorado que é uma alegria absoluta. A transição para o tema original é tratada com maestria, e novamente há o silêncio.

"Parte IV: The Epitaph": Esta é a seção mais orientado ao vocal com uma sensação muito de epílogo, não muito diferente da parte 3, mas sem a insanidade. Encerra a peça de modo perfeito.

As músicas restantes são inferiores a suíte, mas todas têm grandes momentos. 

''Blue House" é uma dramática peça instrumental. A primeira metade da faixa é composta por um teclado meio depressivo e piano, tornando-se mais romântica depois do meio para o fim com a adição de um violão elétrico estilo-Hackett. Há um pouco de atmosfera "espacial" também.

"Sally é uma agradável pausa para a atmosfera depressiva do album. É uma balada balançada que vem como um cruzamento entre THE BEATLES e algum álbum moderno do SUPERTRAMP. É um rock básico um pouco americanizado.

A última faixa, "Anyone's Daughter", tem novamente um teclado poderoso, porém meio depressivo uma guitarra solo monumental na abertura que rapidamente se transforma a um estilo de fusão mais acessível. Os vocais dão a faixa uma agradável atmosfera. 

Enfim o disco tem no geral uma grande qualidade de composição e execução, ensaiando para um estilo que não tardaria a aparecer na Inglaterra: o NEO-PROG. Esta verão conta cota com 3 faixas bônus gravadas ao vivo.

Tracks:
1. Adonis (24:09)
Part I: Come Away
Part II: The Disguise
Part III: Adonis
Part IV: The Epitaph
2. Blue House (7:20)
3. Sally (4:20)
4. Anyone?s Daughter (9:10)

Bonus Tracks:
5. The Taker (9:10) (Previously Unreleased Title-Live In Schomdorf '77)
6. The Warship (10:06) (Previously Unreleased Title-Live In Schomdorf '77)
7. Adonis Part 1: Come Away (Video: Studio Zuckerfabrik '78)

Total Time: 64:35

Musicians:
- Harald Bareth / bass, lead vocals 
- Uwe Karpa / acoustic & electric guitars 
- Kono Konopik / drums 
- Matthias Ulmer / keyboards, vocals



Mega [MP3 320K] / pass = progfriends


Nenhum comentário:

Pesquisar este blog

WORLD