Expandir Player

sábado, 1 de agosto de 2015

Renaissance - Turning Of The Cards [1974] - United Kingdom / Reino Unido


"Turn of the Cards", terceiro álbum do lineup com Annie Haslam, representa mais um passo evolutivo, principalmente em termos de arranjo, dinâmica e produtividade. Eles já haviam se provado capazes de escrever canções fantásticas com melodias maravilhosas e instrumentais longos, cantado e tocado quase impecavelmente, mas essas habilidades estão agora acompanhadas por uma compreensão igual da arte de transformar músicas em obras de arte. Longe vão seções instrumentais simplesmente enxertadas em canções. Aqui, peças fluem naturalmente do início ao fim, englobando música melodiosa e descritivo instrumental em uma onda orgânica de agitação e calmaria, muitas vezes divagam ao longo do caminho mas nunca permite vaguear longe do caminho escolhido. Se "Prologue" criou a fórmula e "Ashes Are burning" definiu o modelo, em seguida, em "Turn Of The Cards" a banda encontrou a faísca que acendeu um fogo de criatividade que durou o próximo par de álbuns.

A faixa de abertura "Running Hard" (9:37), começa com improvisações bastante complexas de piano em um estilo combinado de Jazz e Música Clássica. Mas quando a música entra, a música tem melodia cativante, especialmente quando a voz de Annie Haslam entra na música. A faixa de abertura é realmente agradável como ele se move naturalmente de um segmento para outro, sem problemas.

A faixa seguinte "I Think Of You" (3:07) é uma canção orientada para o Pop com algum tipo de estilos de música Folk através da seção de ritmo e guitarra acústica. Combinado com o som de clavinet, faz essa música mais rica em texturas. As linhas de baixo acompanham a música do início ao fim.

A música move-se para batidas mais enérgicas com "Things I Don't Understand" (9:29), que novamente usando linhas de baixo apertado, bem como sulco dinâmico que move a música desta canção. A linha vocal transforma em notas altas registo durante parte interlúdio em um estilo canto, guitarra, enquanto ainda dominam a seção rítmica. É bom notar a seção de coro no meio da música.

"Black Flame" (6:23) começa com uma nuance ambiente com guitarra acústica tão grande de fundo suave e guitarra baixo traz a música no fluxo suave.  Seqüência de orquestração enriquece alguns segmentos pouco antes da linha vocal entrar na música. Mais uma vez, a melodia desta música é bastante cativante. O trabalho de clavinet faz a música muito interessante para desfrutar especialmente durante os movimentos com trabalho de tambor e quando ela retorna ao segmento mais tranquila.

"Cold is Being" (03:00) começa com som de órgão da igreja e a melodia é bastante familiar com a maioria de nós., pois é baseada na peça "Adagio" do compositor clássico Albinoni.

"Mother Russia" (9:18) é um grande épico que se move dinamicamente com brilhante composição da banda que move os altos e baixos de música, mexendo minha emoção. Esta canção não é apenas maravilhosa em termos de melodia, mas também em seu fluxo maravilhoso de um segmento para outro. O trabalho de seção de cordas faz a música mais rica. Outra grande canção por Renaissance.

No geral, o álbum contém composições maravilhosas que combinam - em sua maioria - Jazz, Rock, Folk em sua forma única através da ajuda da orquestra. Sem dúvida que a revista Progression Prog afirmou que "Turn of the Cards" é um dos 40 melhores álbuns de Rock Progressivo.


Tracks:
1. Running Hard (Dunford / Thatcher) (9:37) 
2. I think of You (Dunford / Thatcher) (3:07) 
3. Things I Don't Undertand (Dunford / McCarty) (9:29) 
4. Black Flame (Dunford / Thatcher) (6:23) 
5. Cold Is Being (Dunford / Thatcher) (3:00) 
6. Mother Russia (Dunford / Thatcher) (9:18)
Time: 40:54

Musicians:
- Jon Camp / bass, vocals 
- Michael Dunford / acoustic guitar, vocals 
- Annie Haslam / lead vocals 
- Terrence Sullivan / drums, percussion, backing vocals 
- John Tout / keyboards

Format: mp3 (320 kbps) = 95 mb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Participe

Pesquisar este blog

WORLD