quarta-feira, 17 de junho de 2015

Comus - First Utterance [1970] [REMASTERED WITH BONUS TRACKS] - United Kingdom / Reino Unido



De início esse primeiro disco da banda inglesa COMUS não é de fácil digestão, apesar da veia Folk presente no trabalho recheada de violino e partes acústicas muito bem construídas, mas com algumas ouvidas podemos notar belas passagens assim como apreciar uma ou duas faixas bem agradáveis.

O álbum começa com uma canção dedicada à deusa da caça, "Diana". A canção tem um apoio de muita percussão. Os vocais continuam o tema da canção muito bem, descrevendo o caçador que cobiça uma presa até que ele obteve o que ele quer.

Em seguida temos possivelmente, uma das mais interessantes canções de Folk Prog escritas, "The Herald". É uma peça ainda mais acústica do que a primeira, com o baixo não mostrando a sua cara muito frequentemente. Os vocais femininos nesta canção são cativantes.

Nós não temos de ficar tão calmos e serenos por muito tempo, no entanto. "Drip Drip" garante isso. A canção tem um tom muito Dark, com perturbação sonora, auxiliado pelos vocais. Parece ser sobre algum tipo de assassinato, se algo pessoal ou ritual eu não sei. 

"Song to Comus" é a próxima. Comus de acordo com o Projeto Theoi é o Deus da folia, diversão e festa, também mostrada para representar o caos. A canção mostra um certo tipo de caos e terror, principalmente na parte de jovens mulheres que Comus apresenta.

"The Bite" é a canção que apresenta o maior número de semelhanças com as bandas Prog folclóricas mais convencionais, como JETHRO TULL. O tema da canção permanece Dark, desta vez aborda um enforcamento.

A única canção do álbum sem vocais, "Bitten" acaba por se sentir a falta dos vocais incomuns típicos do disco. É uma peça interessante, bastante experimental o violino me faz lembrar de pedaços de peças de improvisação do KING CRIMSON em "Red". Não tão boa quanto o resto do álbum, mas ainda vale a pena ouvir.

A última música do álbum é "The Prisoner". Ele retrata alguém em uma instituição mental depois de algumas andanças. Os vocais continuam a ser um fundamento do personagem a ser libertado, como ele se sente a ser curado do que quer que ele estava doente. A música é muito boa, e pode deixar você sentir um pouquinho insano a si mesmo se você permitir. Ele serve como um bom final para um álbum interessante.

No geral, entre as músicas de boa e média qualidade e a arte da capa intrigante, este álbum é merecedor de um lugar na coleção de qualquer fã de Prog.



Tracks:
1. Diana (4:37)
2. The Herald (12:12)
3. Drip Drip (10:54)
4. Song to Comus (7:30)
5. The Bite (5:26)
6. Bitten (2:15)
7. The Prisoner (6:14)
Time: 49:08

Musicians:
- Glen Goring / 6-12 acoustic guitar, electric guitar, slide, hand drums, vocals
- Andy Hellaby / fender bass, slide bass, vocals
- Colin Pearson / violin, viola
- Roger Wootton / acoustic guitar, lead vocals
- Rob Young / flute, oboe, hand drums
- Bobbie Watson / vocals, percussion

Format: flac (tracks + cue) = 372 mb = Mega / pass = progfriends
Format: mp3 (320 kbps) = 164 mb = Mega / pass = progfriends

2 comentários:

  1. Big thanx but password...?

    ResponderExcluir
  2. Luckily I found it = progfriends
    Thanx again.

    ResponderExcluir

Comente e Participe

Pesquisar este blog

WORLD